Paulo Navarro | terça-feira, 20 de novembro de 2018

Na Sala Minas Gerais, durante a comemoração aos 60 anos da Líder Aviação, Carolina Pavan e Iza Haddad

Foto: Edy Fernandes

Minas invisíveis 

Mais uma reflexão do múltiplo José Aparecido Ribeiro. Desta feita, lamentando não nossos caóticos trânsito e mobilidade, mas a fraquíssima exploração do Turismo em Minas. Acabou de acontecer o Festival de Turismo de Gramado (RS), que recebeu representantes de vários países. A feira dividiu-se em Turismo de Saúde, Religioso e Esotérico, Cultural, Ecoturismo e Turismo Rural e GLS, entre outros.

Minas insignificantes 

O estado de Minas Gerais fez-se presente por quatro jornalistas, viajando com recursos próprios ou subsidiados pelos veículos de comunicação que representam. Estavam lá a trabalho e não em missão oficial. Nenhum representante do governo estadual ou municipal deu as caras.

Minas inexploradas 

O evento movimentou mais de R$ 370 milhões em negócios e não houve qualquer sinal de Minas. Desperdício de 30 mil formadores de opinião do Brasil, América Latina, EUA, Ásia e Europa. Mais uma vez, Minas negligenciou, apedrejou a vitrine de um enorme e rico produto, o turismo.

Minas comunistas 

O (des)governo Fernando Pimentel (PT) teve cinco nulos secretários de Turismo, mais de um por ano e nenhum ligado ao setor diretamente, mas ao PCdoB. A Secretaria de Turismo existe até aqui neste governo para servir ao Partido Comunista do Brasil. E BH Convention Bureau, ABIH, Belotur, ABAV, SINDOHB, ABRASEL, Conselho Estadual de turismo etc.?

Minas abandonadas 

Também nada sobre os representantes municipais de BH em Gramado. Alô e bem-vindo, governador Romeu Zema! De que adianta termos um dos melhores aeroportos do Brasil, se Belo Horizonte oferece nada em atrações de lazer/entretenimento e infraestrutura para turismo de negócios? A cidade não tem monumentos, arquitetura, festivais realmente interessantes, museus, história; absolutamente nada que atraia turistas. E, quando temos, as cidades históricas, etc., não há divulgação, propaganda e marketing.

Curtas & Finas

* Hoje, às 19h, coquetel de lançamento do livro “Contratos Empresariais de Colaboração”, do jurista William Carvalho, no Hotel Fasano.

Sócio do Carvalho e Fonseca Advogados, William é doutor em Direito Privado, pela PUC Minas, e mestre em Direito Empresarial, pela UFMG.

* O Consulado da Itália e a Câmara Italiana de Comércio de Minas Gerais têm o prazer de convidar seletos e ótimos para a recepção comemorativa da Terceira Semana da Cozinha Italiana no Mundo.

Ao comando, o chef Massimo Battaglini. Dia 24, às 19h, na Fundação Torino, Belvedere.

* O artista luso-brasileiro Artur Barrio, depois do Museu Nacional Centro de Arte Reina Sofia, em Madri, Espanha, chega a Belo Horizonte com exposição inédita de desenhos heterodoxos e outros. Dia 24, das 10h às 15h, na Manoel Macedo Arte, Carlos Prates.

No mesmo dia e na mesma galeria de Manoel Macedo, a abertura da exposição individual da artista fotógrafa Cristina Motta, na sala Lorenzato. Ambas até 12 de janeiro.