Paulo Navarro | terça-feira, 19 de março de 2019

Celebrando mais uma primavera em seu recém-inaugurado Meat&Co. no Belvedere, Bernadete Barreira ao lado do marido e sócio, Rogério Coutinho

Foto: Edy Fernandes

José Lindolfo Barreira, emoldurado por Letícia e Gabriela Barreira, na mesma noite de festa no Belvedere

Foto: Edy Fernandes

Paraíso do vigário 

As crises, invariavelmente, mostram os melhores e piores lados das pessoas. As fraudes financeiras atingiram 7,8 milhões de brasileiros entre setembro de 2017 e setembro de 2018. O alto número de vítimas, com cartão clonado ou que sofreram outros golpes, ligou o sinal de alerta das empresas que trabalham com o crédito. O Natal, período de compras, é a data preferida dos golpistas financeiros.

Paraíso dos cafajestes

O caso mais comum registrado foi a clonagem do cartão de crédito, 41% dos golpes financeiros. Em seguida está o uso indevido de dados para a contratação de empréstimo, 12% dos casos de fraudes. E com 10% das ocorrências estão os golpes a partir de pagamento de boletos falsos.

Paraíso do purgatório 

As crises acordam outros fantasmas. Segundo Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (Peic), divulgada pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), 61,5% das famílias brasileiras, em fevereiro, tinham dívidas (em atraso ou não).

Paraíso do inferno

O número de inadimplentes, ou seja, com contas em atraso e pagando juros, subiu de 22,9% em janeiro para 23,1% em fevereiro. O especialista em educação financeira do canal Dinheiro à Vista, Reinaldo Domingos, alerta para os riscos e orienta como sair do ciclo do endividamento. “O primeiro passo é um levantamento de todas as dívidas, priorizando as que possuem bens de valor como garantia e evitar o corte de serviços indispensáveis. Priorize as dívidas que têm as taxas de juros mais altas”.

Curtas & Finas

* Continua Reinaldo Domingos: “Provavelmente serão as dívidas de empréstimos adquiridos junto ao sistema financeiro”.

O cartão de crédito é o principal vilão, atingindo 78,5% das famílias, seguido por carnês (13,9%) e financiamento de veículos (9,8%).

Segundo Domingos, “utilizar linhas de crédito sem conhecer o funcionamento do sistema é uma das faces de risco financeiro mais comum”.

* Dia 14, a Skazi doou ao Instituto Mário Penna R$100 mil, arrecadados com a venda das t-shirts lançadas em seu fashion show no Mineirão, em outubro de 2018.

* O Italian Design Day terá a palestra “Uma viagem pelo design italiano em dez histórias”, amanhã, das 19h30 às 21h; realização da Casa Fiat de Cultura e do Consulado da Itália.

A especialista em design e jornalista Chiara Alessi abordará desde o nascimento da famosa cafeteira Moka Bialetti a outros ícones do “Made in Italy”.

Aliás, como diz o ditado torto, tudo que é bom vem da Itália, como o Expresso, o Lamborghini e o perdão do Papa.