Paulo Navarro | terça-feira, 12 de novembro de 2019

Durante o prêmio Empresas que Melhor se Comunicam com Jornalistas, realizado em São Paulo, Daniel Simonetti e Simone Maia, gestores de comunicação da MRV, e Eduardo Fischer, presidente da companhia

Foto: Egydio Zuanazzi / Negócios da Comunicação


No mesmo evento, que está em sua nona edição e é promovido pelo Centro de Estudos da Comunicação e pela Revista Negócios da Comunicação, o jornalista econômico José Paulo Kupfer, ao lado de Marcone Andrada, da Usiminas, e Elisandra Escudero, da agência LVBA, que atende a empresa

Foto: Usiminas/Divulgação


Paraíso na avenida 

Dia 8 de dezembro, os amantes da gastronomia têm um encontro com a arte, em forma de aromas, sabores e texturas de dezenas de queijos de vários tipos e localidades de Minas. Na 1ª Festa do Queijo, degustações – premiadas nacional e internacionalmente –, estandes de produtores e restaurantes, oficinas de harmonização, música ao vivo e bons etc., na Getúlio Vargas, entre Rio Grande do Norte e Paraíba.


Poder e imprensa 

Milhares de jornalistas votaram e colocaram mais uma vez a MRV entre as empresas que melhor se comunicam com a imprensa, através da comunicação das organizações. Tudo na nona edição da premiação do Cecom – Centro de Estudos da Comunicação e pela Revista Negócios da Comunicação.


Sucesso e imprensa 

Outra merecidamente premiada, pelo nono ano consecutivo, foi a Usiminas, com o prêmio Empresas que Melhor se Comunicam com Jornalistas, no evento realizado, dia 4, em São Paulo. A empresa foi uma das ganhadoras em Siderurgia e Metalurgia. Trinta setores da economia foram premiados.


Eterno e moderno

Hoje, às 19h, no Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB-BH), abertura da exposição “Caravana Modernista, do Mangabeiras a Cataguases, um registro da produção modernista brasileira”. Cataguases, além do cinema mineiro, é referência em design. A equipe da Casacor visitou as cidades que revelam a busca pela identidade nacional. E achou! O Palácio das Mangabeiras, sede da Casacor, é um lindo marco modernista. Belo Horizonte? O berço de Brasília, em forma do conjunto da Pampulha. Até 16 de dezembro.


Curtas & Finas

* Oceanos – Prêmio de Literatura em Língua Portuguesa 2019 e Itaú Cultural divulgou seus dez finalistas.

“Alguns humanos”, de Gustavo Pacheco. “A tirania do amor”, de Cristovão Tezza. “Eliete”, de Dulce Maria Cardoso. “Ensina-me a voar sobre os telhados, de João Tordo”.

“Luanda, Lisboa, Paraíso”, de Djaimilia Pereira de Almeida. “Meio homem metade baleia”, de José Gardeazabal. “O imortal”, de Mauricio Lyrio.

“O preto que falava iídiche”, de Nei Lopes”. “Sorte”, de Nara Vidal. “Sua Excelência, de corpo presente”, de Pepetela.

As várias categorias de literatura representam países de língua portuguesa, da África, Brasil e, claro, Portugal.

* A PFI Investimentos inaugura, amanhã, a filial em Belo Horizonte.

Na ocasião, painel sobre “Desafios e oportunidades em um ambiente de juros baixos e reformas”, com a participação de Eduardo Guardia, ex-ministro da Fazenda e atual CEO do BTG Pactual Asset Management, além de Carolina Giovanella e Adriano Cantreva, sócios da Portofino Investimentos, gestora parceira da PFI.