Paulo Navarro | terça, 11 de janeiro de 2022

Na confraternização da Sérgio's Calçados, Sérgio Rocha, ladeado pelas diretoras da empresa, Juliana e Fernanda Rocha. Foto: Arquivo Pessoal

Tragédias gerais

Além das inesperadas, como a de Capitólio, em Furnas, várias e anunciadas tragédias acontecem, todo ano, com as “águas de janeiro”, as chuvas de verão. Ainda bem que, todo ano também, o Serviço Social Autônomo SSA - Servas entra em campanha – ainda em dezembro – para socorrer vítimas nos mais de 124 municípios mineiros em situação de emergência, de acordo com a Defesa Civil de Minas Gerais.

Tragédias líquidas

Na campanha SOS Chuvas, o Servas, comandado por Alexia Paiva, recebe alimentos não perecíveis, materiais de limpeza, itens de higiene, roupas de cama e banho. Outra boa notícia é que o Verdemar abraça campanha do Servas para ajudar pessoas afetadas pelos dilúvios, convocando seus clientes para atos de solidariedade.

Tragédias certas

Os donativos podem ser entregues nos postos em todas as unidades do Verdemar, exceto DiamondMall e Pátio Savassi. Tudo será destinado à Defesa Civil Estadual e às entidades da rede de atenção socioassistencial Servas que acolhem famílias desabrigadas ou desalojadas pelas enchentes e desabamentos provocados pelos infalíveis temporais.

Tragédias irônicas

Depois dos “7X1” da Alemanha, no Mineirão, Mariana e Brumadinho, infelizmente, Minas vira notícia internacional com as chuvas e, em particular com a falésia que derreteu e matou em Furnas. É lastimável que Minas e seus tesouros turísticos só sejam divulgados na esteira de tragédias ambientais e/ou criminosas. Mas isso pode e vai mudar, como podem ler a seguir.

Alívio no caos

Depois das notícias tristes, mas solidárias, o lado oposto e positivo para Minas. Falemos da Feira Internacional de Turismo – FITUR, iniciativa da Organização Mundial do Turismo - OMT, dos dias 19 a 23, em Madrid, Espanha. O evento abre o calendário de feiras internacionais de turismo, ponto de encontro de quem comanda o setor no planeta. Palco ideal para as belezas de Minas.

Consolo no caos

Minas poderia ter um espaço “todo seu”, mas participa, via Secretaria de Estado de Cultura e Turismo – Secult, no estande da Embratur, logo, sem custos para o estado. Aguardamos, em breve, ótimas notícias e novidades com o secretário Leônidas Oliveira. Insistimos! A feira é protagonizada pelos profissionais de turismo de todo o mundo. Em outras palavras, Minas no mapa do mundo e para o mundo. Turismo, como o tempo, é dinheiro.

Curtindo a virada, no Morro da Urca, o jornalista Lu Pereira. Foto: Arquivo Pessoal

Curtas & Finas

*Ainda sobre a  Fitur 2022 VIP Buyers que oferece reuniões de negócios, identificando necessidades, oferecendo soluções e gerando acordos de negócios para países do mundo todo.

Esta feira tem fórum exclusivo para promover marcas, apresentar novos produtos, conhecer as últimas tendências do turismo.

Bem como promover contatos e conhecer novas ideias, produtos e destinos. É a mais importante da Europa para o setor de turismo.

*A rede cearense Coco Bambu - frutos do mar - com destaque para os camarões, abriu a agenda de reservas para o restaurante que será inaugurado, dia 31, no Minas Shopping.

O Coco Bambu Minas Shopping, que está em fase final de obras, vai ocupar uma área de aproximadamente dois mil metros quadrados e terá um ambiente delicioso.

Adega para duas mil garrafas e carta de vinhos com cerca de 200 rótulos de todos os continentes.

*A Fazenda da Paciência, em Santana dos Montes, abre as portas para o público.

“Aqui, cada pessoa que entrar vai poder respirar um pouco de história e cultura do nosso estado”, explica Vinícios Leôncio, proprietário do empreendimento.

Vinícios conta que comprou a fazenda em 2001, e desde então vem se dedicando a sua restauração, trazendo todo o contexto histórico e cultural de uma fazenda do ano de 1742. 

A fazenda foi construída pelo Barão de Queluz e, durante muitos anos, pertenceu aos descendentes de sua família.

A fazenda tem 200 hectares e 3000 m2 de área construída. Para conseguir abrir ao público, Vinícios fez várias reformas.

Reconstruiu muitas áreas, tudo para proporcionar ao visitante uma experiência única de história e cultura.

“Meu objetivo é proporcionar um lazer cultural, resgatando toda a história escravagista, indígena, e política não só de Minas Gerais mas do Brasil”, conta Vinícios.