Paulo Navarro | segunda-feira, 29 de outubro de 2018

Na outrora suntuosa Pousada dos Inconfidentes, recém-adquirida pela Pequena Tiradentes, a proprietária Vanilce Barbosa, Rony Flôres, da Federação Unimed, com Deleoni Amorim, Liliane Andrade e Pedro Henrique Barbosa

Foto: Paulo Navarro

Admirável problema 

O novo livro do psiquiatra Augusto Cury alerta sobre a ansiedade, a sutil e perigosa Síndrome do Pensamento Acelerado (SPA) que, ironicamente, tem nada a ver, com um Spa. O vilão não é o ovo, cigarro, açúcar ou mordomo. A “culpada”, a responsável é esta nossa sociedade, invasora de privacidades, inconveniente, chata; com overdose de informações, nas não menos famosas e infinitas redes sociais.

Admirável e mundial 

O resultado? Somos uma pilha de nervos à flor da pele, perdidos, sem bússola e nos supliciando por coisas que não aconteceram, às vezes nem acontecerão. O novo livro de Cury é seu 35º, “Ansiedade – Como Enfrentar o Mal do Século”. Numa entrevista à Patrícia Zaidan, falou mais.

Admirável e novo

“É uma hiperconstrução de pensamentos, em velocidade tão alta que estressa e desgasta o cérebro. Consequências desastrosas para o corpo e a mente. Pensar é bom, mas com consciência crítica. Pensar excessivamente e sem gerenciamento é uma bomba emocional contra a mente livre”.

Admirável ao contrário 

“Bomba que impede o desenvolvimento da inteligência: refletir antes de reagir, expor e não impor ideias, exercer a resiliência, colocar-se no lugar do outro. Os sintomas da SPA: fadiga, dores de cabeça e musculares, irritabilidade, sofrimento por antecipação, dificuldade para trabalhar com pessoas lentas, transtorno do sono e déficit de memória. 20% da população mundial estão deprimidas. Já a SPA ocorre, provavelmente, em 80% de adultos, crianças e adolescentes, com três ou mais sintomas”.

Admirável e intolerável 

Muitos médicos e professores confundem os dois transtornos e estão perdidos. “Mas onde estão as pessoas mais ansiosas? Nas famílias, religiões, empresas, universidades. Não há oásis nas sociedades modernas. Steve Jobs não sabia, mas os smartphones cativam a emoção e estimulam a edição veloz de pensamentos, gerando inclusive dependência psíquica”.

Curtas & Finas

* Ainda sobre a SPA. “Tire o celular de um jovem por um dia e a dependência aparece: ele fica mais ansioso, intolerante, com humor depressivo e tédio mordaz”.

“Na Internet, raramente a pessoa se relaciona com alguém em profundidade e, pior, com ela mesma. Precisamos da desintoxicação digital. Pais têm de dar limites aos filhos”.

“Uma criança de 7 a 10 anos guarda mais dados do que um filósofo grego quando seu país estava no auge”. Seu psiquismo envelhece.

A mente hiperexcitada empobrece a emoção. Milhões de jovens não contemplam o belo, a própria existência. É a geração mais triste de que se tem notícia.

“Vivemos o dobro que o homem da Idade Média, mas a SPA leva à morte precoce do tempo emocional”.

Não o sentimos passar; os meses voam. Um dos desafios é dilatar o tempo, fazer muito do pouco, gastar horas com aquilo que o dinheiro não compra.

Mas não sabemos lidar com isso. Temos varanda e não sentamos nela para conversar. Temos jardim e não vemos as flores”.