Paulo Navarro | segunda-feira, 26 de novembro de 2018

Na comemoração ao 26º aniversário do BS2, que aconteceu no Minas Tênis Clube, o aniversariante Paulo Henrique Pentagna Guimarães, emoldurado pelo irmão, Gabriel (à esquerda), e pelos filhos, Renata, Juliana e Rodrigo

Foto: Edy Fernandes

Erramos mais 

Dia 20, a coluna, baseada em informações do jornalista José Aparecido Ribeiro, errou em apenas uma parte. A coluna e o blog de Ribeiro afirmaram que havia nenhuma autoridade de Minas, estadual ou municipal, no Festival de Turismo de Gramado (RS), que recebeu representantes de vários países. Desculpando-nos, corrigimos, dizendo que a Secretaria de Turismo de MG e Belotur lá estavam.

Erramos menos 

Erramos mais ou menos. A presença de órgãos oficiais do Turismo de Minas em Gramado é importante, mas sozinha não resolve o principal: a fraca divulgação de nosso potencial turístico não só em Minas – um mal brasileiro –, o que acarreta enorme desperdício do mesmo potencial.

Erramos nada 

Sem mais delongas e detalhes, peguemos um único exemplo. Belo Horizonte nunca teve turistas, só entrou no mapa do mundo durante a Copa do Mundo de 2014. E, mesmo naquela época, BH não teve o resultado econômico esperado. Simplesmente porque um europeu ou norte-americano não faz longa e cara viagem até uma cidade que tem mínimos atrativos turísticos.

Erramos na mira 

Sem apelar com os gringos, BH sempre foi cidade dormitório de turistas a caminho das cidades históricas. Artistas, aqui, dormem uma noite e dia seguinte vão embora. O marketing do turismo de negócios nunca colou, simplesmente por falta de atrativos e infraestrutura adequada.

Ótimo sucesso

Dia 21, em seu 26º aniversário, o BS2, evolução do Banco Bonsucesso, lançou o app BS2 Hub. A diretoria reuniu parceiros, clientes e alguns colaboradores, no Minas Tênis Clube, para apreciar o espetáculo mineiro “Because”, seguido de coquetel. Foi um marco importante iniciado em 2015, quando associou-se ao Santander para formar a joint-venture Olé Consignados, dando início à construção de uma nova proposta de valor para vários segmentos do mercado financeiro e de meios de pagamentos.

Curtas & Finas

* Ainda sobre o BS2. Dois anos depois, em 2017, o Bonsucesso passou a ser uma empresa cada vez mais digital.

“Nosso foco está na prestação de serviços, com uma plataforma que vai muito além do banco”, explica Juliana Pentagna Guimarães, diretora-executiva do BS2.

O app do BS2 já está nas lojas de aplicativos Apple e Android. Com ele, pessoas físicas podem abrir uma conta digital e ter acesso a serviços bancários, investimentos e, em breve, operações de câmbio.

* O complexo “mixed use” Navegantes deu certo. O empreendimento do Grupo EPO, Lagoa dos Ingleses, teve 70% dos espaços locados.

O Navegantes faz parte do complexo residencial, de comércio e serviços CSul Desenvolvimento Urbano.

Na primeira etapa, um centro comercial, com o Supermercado Super Nosso, a rede de cinemas Cineart e a Drogaria Araujo.

Já confirmadas: lojas de material de construção, serviços automotivos, jardinagem e piscina, móveis e decoração, telefonia celular e produtos naturais.