Paulo Navarro | segunda-feira, 17 de fevereiro de 2020

Em jantar no Fasano, o internacional artista plástico Olivier Mourão, emoldurado por sua sobrinha Paulini Mourão e por Jones Braga

Foto: Paulo Navarro


O grande Mouro 

O pintor Olivier Mourão, habitante, há anos, da ponte aérea Londres-Ibiza, está em BH a caminho de Ouro Preto, onde desenvolverá projeto para a China. Nascido em Divinópolis, é bem relacionado em Londres: da família real aos Rolling Stones. Em Ibiza, sua casa-parque, tombada pelo patrimônio histórico, é constante palco de festas hilariantes, reunindo o quem é quem do circuito fashion local.

O grande artista

Radicado na Inglaterra há 50 anos, acabou de expor “Pintando com Papel”, na Mount Gallery Mayfair. Mas sua história começou bem antes. Com16 anos, anunciou ao pai que ia para a Inglaterra. Toda a família foi contra. Sua resposta: “Meu pai, o Brasil foi descoberto há 500 anos”.

O grande lorde

E continuou: “Na Inglaterra, há 700 anos, já existia cultura e civilização. Quero conhecer os filhos dessa gente”. Faminto por cultura, esculpiu carrara em Roma, fez litografia em Paris, onde conheceu Salvador Dalí e Picasso, e história da arte no Kingscollege, em Londres.

O grande mágico 

Hoje vive seis meses em Londres e seis em Ibiza, onde também expõe todo ano. Sua missão é traduzir a beleza às pessoas, como escreveu o premiado publicitário alemão Fabio Christ: “A pergunta quem é, exatamente, Olivier Mourão sempre foi mistério. Qualquer um que o reduza à produção artística não entende que quase todos os detalhes de sua vida servem para uma grande obra de arte completa. Tudo que ele faz parece ser parte de uma perspectiva maior. Tudo é montado em um processo trabalhoso”.

O grande espírito

“Pessoas, ideias, materiais, cores, comidas, música, onde a fascinação pela encenação da beleza parece sem fim. Inspirado por Ibiza, cria momentos de admiração intensa, hedonismo e graça em perfeito equilíbrio. Ele ama contar histórias sobre prazer, escapismo; tentação com melancolia e generosidade de espírito. Tanto na arte como em sua vida”.


Curtas & Finas

* Ainda sobre Mourão: “Sua biografia lê-se como um roteiro vencedor de Oscar”.

“Do início, fim da década de 1950, como o pintor de quadros infantis mais famoso do Brasil, até seu estilo definido ao conhecer Picasso, Francis Bacon e Dali”.

“Do lendário Studio 54 à ensolarada Ibiza, com suas icônicas festas, até seus vernissages espetaculares”, o que atrai gama de colecionadores internacionais, com o hotel boutique Monaci Delle Terre Nere, na Sicília.

Sua recente exibição em Londres, “Pintando com Papel”, é demanda de curadores e colecionadores de todo o mundo. Já a exposição na China acontecerá em cinco diferentes museus.

* Hoje, às 18h30, Jantar com Arte: Anna Bella Geiger – Brasil Nativo/Brasil Alienígena e Art Talk, com o galerista Murilo Castro, sobre a obra de Anna Bella Geiger (Rio de Janeiro, 1933).

Jantar inspirado no trabalho da artista e assinado pelo chef Eloi Moreira, na Galeria Murilo Castro, no Santo Antônio.