Paulo Navarro | segunda-feira, 13 de julho de 2020

Esquentando os tamborins para 2021, Gabi Mendes

Foto: Divulgação


No bloco “Dias Melhores Virão”, Maria Elvira Sales

Foto: Nélio Rodrigues


Laender duplo

Dois artistas, pai e filho, Paulo e Cristiano Laender, lançaram, através da grife Land, a primeira linha de joias em prata esterlina, com aplicações de ouro 750 e pedras brasileiras. Recomendamos fortemente a vitrine do Instagram, já lançada com grande parte desta coleção que estará constantemente renovada e acrescida de novas criações.

Laender total

O trabalho da “Dinastia Laender” já é conhecida e aprovada. A começar pelas pinturas e esculturas de Paulo Laender, dignas dos maiores superlativos e positivos adjetivos. Apreciem as joias já postadas, curtam, repassem e recomendem. Mais surpreendentes, só os preços, uma pandemia de oportunidade. O link é Instagram.com/landjoias.


Ser ou não ser

De um amigo empresário em Belo Horizonte: “Se a Covid-19 fosse tão letal quanto alardeiam os abutres, funcionários de farmácias, supermercados, padarias e demais serviços essenciais estariam todos doentes ou mortos”. Reflexão pertinente que também serve para o presidente Jair Bolsonaro, que, apesar de muito olho gordo, pragas e energias do mal, passa muito bem, “merci”. Certamente porque, há muito tempo, ele usa a hidroxicloroquina.

Ser ou estar 

Ou então, vamos lá. Novamente, o presidente tem razão, mesmo não dando o exemplo. Máscaras e higiene minimizam a contaminação. Logo, todo o comércio, toda a indústria, todos os serviços poderiam estar funcionando normalmente. Basta a empresa “fingir” que é essencial e mandar ver. O que lembra aquela piada séria: “Por que todo avião não é feito do mesmo material que a caixa preta?”, aquela que pode se perder, tem validade, mas sempre sobrevive”? E olha que nem preta a caixa é, mas laranja.


Baú de espantos

Esta é do saudoso e maravilhoso 2018, mas ainda está valendo. Em Barbacena, mora um galpão de carros antigos, raridades escondidas e lindas. Bólidos em perfeitas condições de uso, documentação perfeita e placas originais, as amarelinhas. Até sabemos o nome do proprietário, mas, como em 2018 ele preferiu o anonimato, e por sua fama de ermitão, manteremos sua vontade.

Baú de tesouros 

Como todo bom colecionador, “O Cara” não expõe, não vende, nem troca os carros. Destaque para a marca Opel! Um Opel Kapitan 1960, que pertenceu à embaixada do Brasil em Roma. O Opel Furgão Olympia 1951, adquirido em 1955, de uma padaria em Conselheiro Lafaiete. O Opel Caravan 1973, que pertencia a um brigadeiro da Aeronáutica, nos anos 1970.

Baú de rodas

O Opel Rekord 1967, o Opel Kapitan 1957 e o Opel Kadett L 1967, completam o acervo da marca. Presentes também pérolas da Chrysler: Dodge Charger RT, o Dodge Grand Sedan e o Dodge Polara, todos de 1977. Os Opalões, como diria o grande Eduardo Almeida Reis? Um Grand Luxo 4.100 1973 e um 1972, motor 2.500.

Baú de ícones

Pela Volkswagem, um Fusca 1500 de 1971 e outro de 1972, rimando com uma Variant de 1972. Da marca Ford! Um Corcel 1973, como na música “Ouro de Tolo”, de Raul Seixas e um Del Rey Ghia 1988. E mais! Um Chevrolet Impala 1959 e um Chevrolet Style Line, 1951, ladeando um Plymouth Cranbrook de 1951. Esperamos que, num longínquo futuro, todas estas maravilhas sejam destinadas a um museu decente.


Donos de nós

O especialista em neurolinguística e escritor William Sanches, escreveu: “Somos protagonistas da nossa realidade”, um guia mágico que transforma chumbo em ouro, ou seja, ensina ser feliz aqui e agora. O texto é uma amostra do livro “Desperte a sua Vitória”. Vamos aos trechos: “Uma vida bem-sucedida envolve você estar feliz e em paz em todas as áreas: saúde, relacionamentos, profissão. Com todos os campos fluindo em harmonia. Quando você percebe que pode ir além, eis a chave para a transformação”.

Donos da vida

“Quando você muda sua postura, percebe as oportunidades e agradece tudo o que tem, passa a confiar em si mesmo e cria à sua volta o verdadeiro círculo da vitória. Mas como destravar suas crenças limitantes e criar uma nova realidade? Como se livrar das correntes que te prendem e o impedem de avançar? É preciso refletir, repensar a sua vida, e aprender a fazer diferente a partir de agora. Você deve focar no seu desenvolvimento e assumir o compromisso real com a sua própria felicidade”.


Curtas & Finas

* William Sanches completa o caminho das pedras: “Você é exatamente aquilo que pede. Não o que pede em palavras, mas com a sua própria energia”.

“Ela é a responsável pela atração, tanto das coisas boas, como ruins. Ao elevar a sua energia, você passa a cocriar a realidade fantástica que merece. Lembre-se: nós sempre recebemos na medida exata do que damos”.

“Agradeça, comemore, alegre-se com as pequenas conquistas, com o que você tem hoje. Essa vibração vai te contagiar e se elevar mais e mais, criando sentimentos de otimismo, convicção e entusiasmo. Quem tem dor, tem pressa”.

* “Voilà” o “Festival Liberté”, da Aliança Francesa, com a mostra “Línguas em Perigo: como podemos salvá-las?" no site da Aliança Francesa BH.

Entre as sete mil línguas faladas no mundo, 2700 correm risco de extinção.

Com textos e imagens, o público confere os locais mais afetados, como as ferramentas digitais podem ajudar a salvar esses idiomas e até sobre línguas que foram ressuscitadas.

E ainda no “Festival Liberté”: música, exposições (científica e artística), palestras, encontros de cinema e de gastronomia. Tudo transmitido “online” e gratuito. Até dia 31, a exposição virtual “O que meus olhos veem”.

Cinco fotografias, em cada uma das três categorias do concurso: “Objetos do cotidiano’’, “Paisagem da Janela’’ e “Retratos Íntimos’’.

Dia 17, às 18h30, será retransmitido um concerto intimista, seguido de bate-papo ao vivo com o cantor francês Benjamin Piat, no Instagram da Aliança Francesa.

Dia 21, às 19h, a palestra ''Os conceitos sociais fundamentais de hospitalidade: as práticas de acolhimento institucional aos imigrantes em Paris'', com o professor Doutor Leandro Brusadin.

Dia 26 de julho, às 18h, a ópera de Umberto Giordano: “Andrea Chénier”.

No “Bande à Part”, o cine clube, o tema “História e Cultura da França’’. Os encontros são em português e as inscrições pelo e-mail cultura@aliancafrancesabh.com.br.

Dia 31, às 19h, a live Gastronomia Francesa, com a jornalista Pati Chausson, preparando um Coq au Vin.