Paulo Navarro | segunda, 7 de junho de 2021

Selos da discórdia

Sem a devida autorização, o Vaticano emitiu um selo postal, reproduzindo um trabalho de rua, “street art”. A autora apresentou queixa. Depois de tentar, sem sucesso, acionar o escritório filatélico da Santa Sé, a artista italiana, Alessia Babrow, apelou para a Justiça, exigindo seus direitos autorais sobre uma pintura de Jesus. Ela quer 130 mil euros. 80 mil exemplares do selo foram editados e vendidos a 1,15 euro, cada.

Selos da cizânia

Ali perto, na Espanha, a campanha “Selos da Igualdade” foi lançada para combater a discriminação racial. De boas intenções o inferno está bem mais cheio que o céu. No caso, o feitiço virou-se contra o alquimista. Segundo o jornal Washington Post, os “Correos” aplicaram um sistema de cores em seus novos selos, onde cada nuance corresponde a um preço diferente.

Selos amaldiçoados

O único probleminha é que o selo mais caro (1,60 euro) corresponde à cor branca e o mais barato (0,70 euro), à cor negra. Funcionários dos correios afirmaram que, quanto mais escuro, menor valor terá o selo. Assim, numa postagem, será necessário utilizar mais selos negros que brancos. Desta maneira, cartas e pacotes refletirão a desigualdade criada pelo racismo. Pode isso, Arnaldo?

Selos condenados

Moha Gerehou, autor de um livro que denuncia o racismo na Espanha, enfatiza que a intenção dos serviços postais era boa, mas que esta iniciativa antiracista acabou sendo racista. Para Moha, campanhas deste tipo são organizadas principalmente por brancos porque as grandes empresas estão atrasadas no combate ao racismo. Realmente, nestes tempos intolerantes e politicamente corretos, até o bem vira insulto.

O diretor da Nissan Carbel Japão, Thiago Maia; o  consultor da montadora Nissan em Minas Gerais, João Carlos Lot e  o apresentador Ciro Bottini. Foto: Edy Fernandes

Dia da Nissan

O “Nissan Day”, primeiro evento “online” da Nissan Carbel Japão, dia 29 de maio, superou as expectativas dos clientes com tecnologia e performance de vendas em plena pandemia. O evento, idealizado pelo marketing do Grupo Carbel com a parceria da Horrara Produções e HS Publicidade, foi realizado na Carbel Japão da Contorno e na Barão. Foi comandado por Ciro Bottini, um dos mais famosos vendedores televisivos do Brasil.

Curtas & Finas

*Presentes ao “Nissan Day”, o diretor da Nissan Carbel Japão, Thiago Maia e o consultor da montadora Nissan em Minas Gerais, João Carlos Lot.

E ainda a gerente de marketing do Grupo Carbel, Larissa Cafaggi e a gerente de marketing da Carbel Japão, Ariane Rosângela Resende.

O consultor da montadora Nissan em Minas Gerais, João Carlos Lot e o diretor da Nissan Carbel Japão, Thiago Maia. Foto: Edy Fernandes

*O projeto “(EU) - Uma viagem para dentro” é o caminho de autoconhecimento que o músico e publicitário mineiro Fred Izak lançou celebrando sua trajetória na publicidade e na arte.

Aos 47 anos de idade e 30 de atuação como publicitário, ele brinca com o cabalístico 17.17 - sua entrada na publicidade aos 17 anos, e outros 17 anos à frente do grupo Fredizak.

A “live” de lançamento, dia 30 de maio, deve continuar no canal no YouTube do artista e pelo www.euofilme.com.br.

*A Coopax, nova plataforma online de soluções para o gerenciamento de eventos, chega ao Brasil com o Coopax Open Show.

O evento online e gratuito, de amanhã (08/06) a 10 de junho, promoverá conteúdos para o enfrentamento dos desafios no setor de turismo e hotelaria.

O objetivo do Coopax Open Show é o compartilhamento de estratégias que contribuam para a manutenção e continuidade dos eventos no país.

*A gestora de venture capital Igah Ventures anunciou aporte de R$35 milhões na beautytech Lilly Estética, de Nicole Sarantopoulos.

O investimento vai dar suporte ao plano da marca de beleza de chegar a 60 clínicas próprias até o final de 2022.

Outra novidade que vai impulsionar o crescimento da empresa de beleza é a chegada da atriz Paolla Oliveira na sociedade.

“O mercado de ‘beautytechs’ cresce muito no mundo e é um grande aliado no bem-estar pessoal", diz a atriz.