Paulo Navarro | segunda, 25 outubro de 2021

De volta aos palcos mineiros após a pandemia, o cantor Marcelinho de Lima com sua Carol Lima. Foto: Arquivo Pessoal

Flor de obsessão

Há pelo menos 20 anos esta coluna defende, com enorme frequência de temas, o Turismo como “indústria”; a estratégia mais rentável e sustentável para o Brasil. Em todo o mundo, países inteligentes vivem do Turismo, atraindo milhões de visitantes e bilhões em divisas. Apesar de suas belezas naturais, que não são exclusivas, o Brasil é longe, caro, “perigoso” e pouco divulgado no exterior.

Flor rara

Com nosso potencial desperdiçado e desconhecido, para o estrangeiro, o Brasil ainda é uma aventura; a cidade do Rio de Janeiro e as praias do Nordeste. Como cantava Elis Regina, em “Querelas do Brasil” (1978) – a música de Maurício Tapajós e letra de Aldir Blanc – “O Brazil não conhece o Brasil. O Brasil nunca foi ao Brazil”.  Elis e Tapajós morreram. Aldir Blanc virou até lei cultural, mas o Brasil continua um ilustre desconhecido. Aqui e lá fora.

Flor de plástico

O Brasil perde muito dinheiro. Nem Copa do Mundo e Olimpíadas conseguiram mudar esta realidade. As praias e o sol continuam atraindo “gatos pingados”, incluindo correligionários do turismo sexual. O Rio de Janeiro continua lindo e o País do Carnaval. A Amazônia só serve para criar polêmicas e resta um enigma. O resto do país vive fora do mapa do mundo. O Brasil precisa ser descoberto, de promoções e muita, muita divulgação.

Flor de ferro

Minas é um desafio ainda mais árduo. Os estrangeiros sabem nem onde fica, no máximo, perto de Rio e São Paulo. Não temos mar! Cidades Históricas? Para que? Basta irem a Portugal, é a mesma arquitetura e muito mais barato. O “segredo” parece morar no “conjunto da obra”; misturar e oferecer o diferencial total: nossas belezas naturais, as mesmas cidades históricas e a cozinha mineira. Pela porta da frente, Belo Horizonte.

Flor do Brasil

Por tudo isso e muito mais, palmas para quem merece, o atual governo de Minas e sua Secretaria de Estado de Cultura e Turismo - Secult que, no mínimo, estão surfando na oportunidade que a crise da pandemia trouxe, em três eixos: “Minas para Minas” (turismo de proximidade), “Minas para o Brasil” e “Minas para o Mundo”. Resta saber se os alicerces lançados vão manter o edifício em pé, quando os brasileiros puderem retomar as viagens ao exterior, o que está quase acontecendo.

Flor de leite

Já divulgamos aqui, várias vezes, o ambicioso projeto estadual, “Reviva Turismo”, com 1001 ações, tendo como carro chefe, a Cozinha Mineira, a começar pelos internacionalmente premiados queijos. Ótimo! Parabéns! Até que enfim, a tão esperada e cobrada divulgação. Apenas lembramos que a gastronomia inglesa tem fama de péssima, mas Londres é uma das cidades mais visitadas do mundo. Lembrar também que os milhões de turistas que visitam Paris não vão lá apenas pela melhor e mais famosa gastronomia do mundo.

Flor francesa

Paris é Paris porque, primeiro, tem dois mil anos de história, com muita arquitetura preservada. Além de seus míticos restaurantes, vinhos e queijos, tem um rio lindo, limpo e de verdade, o Sena, que tem até duas ilhas, numa das quais mora a Notre Dame, com seus quase 900 anos. Paris tem parques, jardins, esculturas, monumentos; tem alguns dos melhores museus do mundo, exposições fantásticas, charme para dar, vender e fotografar. É também um templo do consumo, a começar pelos perfumes.

Flor viva

Não temos espaço para detalhar e elogiar, como merece, a iniciativa do extenso “Reviva Turismo” que nem é tanta novidade para quem nos lê amiúde. “Desde que foi colocado em prática, o fluxo turístico em Minas identificou movimentação de mais de seis milhões de pessoas, número maior inclusive que o período anterior à pandemia”. Beleza! O desafio agora é manter e aumentar este número. Passemos à grande e mais importante novidade.

Flor mineira

“A intenção de levar a Cozinha Mineira para o mundo foi enfatizada, quando o secretário de Estado de Cultura e Turismo, Leônidas Oliveira, na Assembleia Legislativa, apresentou estratégias de promoção da nossa culinária inicialmente na Europa e nas Américas, para depois ganhar contornos para o restante do mundo”.

Flor mundial

“Um evento está previsto para Portugal no início de novembro, para dar o pontapé inicial nesta ação. A Secult já percorreu os primeiros passos com a abertura de uma representação do estado em Portugal, tornando Minas o primeiro estado brasileiro a ter este tipo de ação no exterior”. Pronto, era o que faltava, “ser do mundo”, depois de ser de Minas Gerais.

No restaurante japonês Udon, a anfitriã Mariângela Lima ao lado de Celso Picchioni, com Dilson Verçosa, da American Airlines e o cônsul da Itália Dario Savarese. Foto: Arquivo Pessoal

Curtas & Finas

*Com o auxílio luxuoso da Associação Brasileira de Jornalistas de Turismo - Abrajet MG, o “Reviva Turismo” está sendo divulgado em todo o Brasil, com ótimo retorno.

A seguir, alguns dos muitos pontos do “Reviva Turismo” que merecem loas.

Empregos no setor do turismo em Minas. A partir de junho, mais de 12 mil novas vagas preenchidas no acumulado.

Minas é um dos dez destinos mais acolhedores do mundo, segundo o ranking global da premiação “Travellers Review Awards 2021”, da plataforma de reservas online Booking.com.

São Bartolomeu, distrito de Ouro Preto, foi selecionado pelo Ministério do Turismo para representar o Brasil no concurso "Melhores Vilas Turísticas do Mundo", da Organização Mundial do Turismo (OMT), agência das Nações Unidas. 

Comercialização do destino Minas Gerais em parcerias com operadoras e agências para oferecimento de pacotes para todo o Brasil. Depois, para o mundo. 

No concurso internacional “Mondial du Fromage et des Produits Laitiers”, na França, produtores mineiros ganharam 40 medalhas das 57 faturadas pelo Brasil.

Minas Gerais é também o maior produtor de café do Brasil, colocando o país como maior produtor e exportador do mundo.

Os azeites mineiros também ganharam evidência e prêmios no concurso “Brazil International Olive Oil Competition 2021”.

O Governo de Minas, via parceria entre a Secult e o Banco de Desenvolvimento de Minas Gerais - BDMG, oferece linhas de crédito especiais para os setores de turismo e eventos. 

Minas Gerais comemora o crescimento constante dos contratos assinados por meio do Fundo Geral do Turismo (Fungetur).

O Fungetur é uma linha de financiamento com recursos do Ministério do Turismo destinada, preferencialmente, aos segmentos de micro, pequenas e médias empresas. 

O ponto de partida para promover Minas no mundo começa com o projeto Via Liberdade.

Rota turística e cultural que irá se estender pela BR 040, ligando as belezas, as histórias, a cultura e a arte de Minas Gerais, Rio de Janeiro, Goiás e Distrito Federal. 

Edital Reviva Turismo vai ajudar a promover Minas como destino.

Com R$10 milhões, o edital fortalece as parcerias do Governo de Minas com o setor privado na estruturação e promoção conjunta da marca Minas como destino. 

O objetivo é realizar investimentos de marketing para divulgar e promover o potencial turístico de Minas, o aumento do número de visitantes ao estado e gerar, assim, mais empregos, renda e desenvolvimento socioeconômico.

*Por falar muito nisso, a 1ª Temporada Internacional de Gastronomia e Alimentação de Belo Horizonte (TIGA) segue até o fim do mês. 

O período foi escolhido por conta do Dia Mundial da Alimentação, dia 16, e a data em que Belo Horizonte recebeu o título de Cidade Criativa da Gastronomia pela UNESCO, dia 30. 

A iniciativa é da Prefeitura de Belo Horizonte, por meio da Belotur. Toda a programação pode ser acessada por meio do link:http://portalbelohorizonte.com.br/temporadagastronomia.