Paulo Navarro | segunda, 01 de março de 2021

Tudo de ótimo e mais força ao novo presidente do IFL, Thiago Kalab. Foto: Divulgação/IFL

Formação de Forças

Hoje, às 19h, no The One, Raja Gabaglia, posse da nova diretoria do IFL - Instituto de Formação de Líderes. O IFL, idealizado pelo poderoso Salim “Localiza” Mattar, promove “A Formação” em um espaço para discussão de vários temas, com reuniões semanais, proporcionando aos jovens empresários formação política, filosófica, econômica, gerencial e comercial. O novo diretor presidente, será Thiago Kalab, sócio na Construtora Split.

Tchau, Brasil!

A Ford fechou suas três fábricas no Brasil, ponto. A desvalorização de seus carros é certa. De um lado, fãs da marca buscam carros bem conservados. Outros querem trocar, devido ao medo de desvalorização e falta de peças de reposição.

Bye-bye Brasil!

Na opinião de diversos especialistas, a marca é muito consolidada no mercado nacional, o que deve favorecer a manutenção de preços. A política de pós-venda da montadora, a médio prazo, será crucial para manter a imagem positiva da empresa no mercado brasileiro.

Leite bom

Na “Isto É Dinheiro”, grande amigo e enorme profissional: “O CEO que fez a Usiminas decolar. O mineiro Sergio Leite levou a empresa ao maior lucro em uma década, a despeito das dificuldades enfrentadas por toda a indústria no ano passado”. Agora, Sergio consolida sua credibilidade. Depois de um longo sufoco entre 2013 e 2018, quando o mercado desabou e os sócios da companhia se digladiaram nos tribunais, Leite assumiu as rédeas e colocou os negócios de volta ao prumo. “Voltamos a ser uma empresa normal”, disse o presidente da siderúrgica.

Leite forte

Sergio Leite “transformou em números seu esforço de corrigir a rota da empresa. Em um período marcado por oscilações na demanda e constantes reajustes nos preços do aço, a Usiminas contabilizou lucro líquido de R$1,3 bilhão em 2020, o maior em dez anos. Crescimento de 243% sobre 2019. Já o lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda) ajustado somou R$3,2 bilhões e foi o melhor desempenho desde 2008”.

Uma boa dupla driblando a crise, Valdez Maranhão e o deputado estadual Mauro Tramonte. Foto: Edy Fernandes

Curtas & Finas

*Ainda sobre Sergio Leite. “Apenas no quarto trimestre, o lucro líquido foi de R$1,9 bilhão contra R$198 milhões no trimestre anterior, um crescimento de 866%”.

“Isso, enquanto o Ebitda Ajustado consolidado chegou a R$1,6 bilhão, contra R 826 milhões no trimestre anterior, uma alta de 95%”.

*No complicado, inédito, cruel e inesquecível 2020, a Rede Mater Dei de Saúde completou 40 anos.

A Rede assegurou seu compromisso com o acolhimento e bem-estar dos seus pacientes, oferecendo o melhor em tecnologia e promoção de saúde.

Prestação de serviços de saúde, com excelência e de forma humanizada, sempre colocando o paciente no centro do cuidado.

Para comemorar, dia 25, a Rede Mater Dei de Saúde lançou o livro “Mater Dei: 40 anos de Compromisso com a Qualidade pela Vida” em “live” no seu canal no YouTube.

Segundo o presidente da Rede, Henrique Salvador, “ter a confiança dos clientes nos impulsiona a seguir em frente. Ao vislumbrar o futuro, voltamos o nosso olhar à nossa história e contemplamos com orgulho tudo o que nos trouxe até aqui”.

“Por isso, registramos neste livro a nossa caminhada e compartilhamos com todos que, direta ou indiretamente, fazem parte da história da Rede Mater Dei de Saúde”.

*Nos dias 4 e 5 de março, o Seminário Internacional Direito à Cultura.

Pesquisadores, gestores e agentes culturais latino-americanos vão discutir a relação entre os direitos culturais e temas como democracia, cidadania e implementação de políticas culturais.

O evento é gratuito e integra a programação do 15º Festival de Verão UFMG. Para acompanhar, basta assistir pelo canal da DAC no YouTube (www.youtube.com/culturaufmg).