Paulo Navarro | sábado, 8 de maio de 2021


Entrevista com o CEO da Rede Gourmet, Pedro Martins da Costa. Fotos: Samuel Gê

Mil Sabores

No Brasil, quase tudo acaba em pizza? Sim. Quando começa com sanduíche, cedo ou tarde, passa pela pizza que, no mesmo Brasil é melhor que a italiana! Prova disso é a Rede Gourmet dos irmãos Pedro e Agilberto Martins da Costa. Confessa Pedro: “Começou com sanduíche e terminou em pizza. Brincadeira à parte, o sucesso da Pizzaria Olegário foi muito importante e abriu portas como as do Udon”.

Em toda parceria, cada sócio tem um papel. Qual é o teu e qual o do Agilberto?

Temos personalidades bastante distintas e isso, de certa forma, contribuiu para a boa gestão dos negócios. Temos algumas áreas na empresa onde um atua mais que o outro, porém sempre tomamos juntos as decisões mais importantes.

Qual o segredo destes 30 anos? Uma santa fé, muito trabalho e tino?

Uma mistura de tudo: muito trabalho, fé e perseverança. Principalmente, neste momento tão difícil pelo qual o mundo está passando.

Santafé, Olegário, Udon. O trio está completo formando a Rede Gourmet ou cabe mais?

Temos alguns projetos, mesmo com a crise. Nosso foco tem sido o “delivery”, que não é para amadores. Ter força neste mercado, seguindo rigorosamente todas as regras sanitárias, pagando impostos e todas as outras obrigações não é fácil. Principalmente diante de um mercado que tem muitos aventureiros, ainda mais agora, na pandemia.

Voltando ao sucesso. Vocês conseguiram algo raro em BH, durar e sobreviver até na pandemia. Outro segredo? As franquias?

Na Rede Gourmet, sucesso, trabalho e perseverança são sinônimos. O modelo de franquia foi o que nos possibilitou expandir nossas marcas e continua sendo um dos grandes segredos do nosso negócio.

Como vai o mercado desde 2020?

2020 e 2021 são os maiores testes de perseverança das nossas vidas e da empresa. Cumprimos um desafio diário, com um trabalho minucioso, para controlar os custos e minimizar ao máximo qualquer perda ou prejuízo. E assim permanecemos, com todas as nossas casas ativas no “delivery” e a maioria delas funcionando para o público, quando permitido.

Bom gosto na arquitetura, decoração e móveis abrem o apetite?

Com certeza! Quem gosta de gastronomia, também gosta de ambientes aconchegantes e de bom gosto. E é isso que sempre buscamos em nossos projetos: poder proporcionar uma boa experiência em todos os sentidos.

Os hotéis ainda são ótimos parceiros, mesmo sofrendo tanto na pandemia?

Tanto os hotéis quanto os restaurantes estão no mesmo barco e sofrendo os mesmos malefícios da pandemia. Continuamos trabalhando juntos e em parceria, assim sairemos dessa! Se Deus quiser teremos um segundo semestre bem melhor e um 2022 de muito sucesso.

O que espera de 2022?

Acredito que o ano de 2022 será o ano da guinada para o nosso setor, sem um pingo de dúvida! Temos uma demanda reprimida e, mesmo com o novo normal, com todas as adaptações que estamos precisando realizar, teremos um ano muito bom!