Paulo Navarro | sábado, 7 de setembro de 2019

Foto: Léo Lara

 

Nome e vocação de bandeirante

Fernão Silveira é presidente da Casa Fiat de Cultura e diretor de Comunicação Corporativa e Sustentabilidade da Fiat Chrysler Automobiles para a América Latina: “Um desafio delicioso, no qual aprendo muito sobre o fascinante mundo da produção cultural, contribuindo para o vibrante cenário de BH, que recebeu tão bem a mim e à minha família e que já tem lugar cativo em nossos corações”.

 

Ser presidente da Casa Fiat é também um complemento da direção de Comunicação da Fiat?

Sem dúvidas. Compartilhar com os visitantes da “nossa Casa” valores e paixões da Fiat Chrysler Automóveis: design, arte, ousadia, inclusão, diálogo com o público, a acessibilidade... Um tributo às raízes italianas e ao coração mineiro.

 

É possível resumir sua trajetória profissional até a Casa Fiat?

Sou muito abençoado e privilegiado por ter tido oportunidades e aprendizados fantásticos ao longo da minha carreira. Nada veio de graça. Tudo fruto de muito trabalho, dedicação, empenho e vontade de crescer e aprender sempre.

 

Qual o maior prazer de presidir a Casa Fiat?

Levar ao público, de forma gratuita, a arte e a cultura em suas mais variadas manifestações.

 

E o maior desafio?

Aprender os meandros deste maravilhoso e complexo mundo da produção artística e cultural, com minha excelente equipe, para quebrar paradigmas e testar novas ideias. Vem coisa muito boa por aí...

 

Com a Casa Fiat, Minas ganha um braço da secular Cultura Italiana?

Esperamos que sim – e essa é uma tremenda responsabilidade. A Itália é um país que nós, brasileiros, amamos muito. E a nossa Fiat, com raízes tão profundas em Minas Gerais, é um fantástico laço entre esses dois países. A Casa Fiat de Cultura se propõe a ser uma casa de portas sempre abertas ao público, como mandam a generosidade italiana e a simpatia mineira.

 

Consegue escolher a melhor exposição até agora?

“Beleza em Movimento – Ícones do Design Italiano na Casa Fiat de Cultura”, minha primeira grande exposição como presidente. Mas já tivemos Caravaggio, São Francisco, Rodin e Roma...

 

E o público visitante? É bom? Pode crescer?

Fomos apontados por conceituada publicação britânica como uma das 100 exposições de arte mais visitadas do mundo: “São Francisco de Assis na Arte de Mestres Italianos”. Este ano, com “Beleza em Movimento”, queremos chegar mais longe. E precisamos de vocês para bater esse recorde! As possibilidades de crescimento são, sim, muito grandes.

 

Qual o atual e o próximo presente da Casa Fiat a Belo Horizonte?

O atual é “Beleza em Movimento – Ícones do Design Italiano na Casa Fiat de Cultura”, uma mostra que reúne verdadeiras obras de arte sobre rodas junto com esculturas, pinturas, peças de design, mobiliário, cinema... Realmente, uma exposição imperdível e que merece ser explorada em detalhes. Os próximos presentes eu prefiro deixar como uma surpresa. Repito: podem esperar que vem por aí muita coisa boa!