Paulo Navarro | sábado, 5 de fevereiro de 2022

Entrevista com o empresário Ronaldo Souza. Foto: Nereu Jr.

Le Lupin Du Pain

Aqui entre nós, tem coisa melhor que pão francês? Mas francês de sobrenome, não apenas no nome, apelido! Sim, tem coisa bem melhor, mas aqui, impublicável. Então, variando sobre o mesmo tema, o que mais, além dos pães, baguetes, vienoisserie – pastelaria chique, vienense; folheados - queijos, doces, embutidos, saladas, vinhos, cafés e drinques? Melhor consultar o Ronaldo Souza, “s.v.p.”.

Ronaldo, por que mais uma padaria em BH?

Para democratizar o pão de verdade! Resgatamos processos ancestrais, com benefícios comprovados para a saúde, sem químicas e conservantes.

Porque ela é artesanal? Para oferecer o melhor pão e Cia?

Respeitamos as etapas de produção. Quando o pão foi criado, era feito à mão. Equipamentos ajudam, mas a maior parte é feita manualmente. Cada pão é único, não é apenas farinha e água! Respeito à matéria prima e sua melhor compreensão, extraindo seu melhor e criando o melhor pão!

BH não tinha uma padaria tipicamente parisiense?

Com toda essa junção de pães, ambiente e cardápio, não! Tudo pensado para remeter à França, desde o menu, na linha francesa, até os pães, vienoisserie, doces. A decoração, os detalhes, a madeira, o ferro retorcido e o teto de flores secas trazem esse charme, elegância e leveza.

E o diferencial fundamental?

O foco no conceito de ser artesanal e francês. A base da minha cozinha é francesa, então todo o universo acompanha. Sempre fomos fiéis ao conceito.

O pão é uma instituição francesa. E em BH? E no Brasil?

O pão que chamamos de pão francês, de francês tem nada. Mas a França segue como a maior referência em panificação. Em BH, não é de nossa cultura e nem somos cosmopolitas com grande influência europeia, então trouxemos o novo estilo de padaria do velho mundo. Pela qualidade de suas padarias, BH está se tornando referência nacional em panificação artesanal.

A Du Pain vai muito além do pão nosso de cada dia...

Oferecemos experiências com qualidade, sabor e hospitalidade. Um ambiente aconchegante que convida a se perder no tempo e curtir.

Sem entregar segredos, o que os clientes vão encontrar, de Paris, em BH?

Croissant, pão de verdade, baguete... A pessoa vai se sentir em Paris. O jardim de lavanda na entrada completa o teto de flores ao fundo. Tudo pensado para acolher e agradar os sentidos.

Esta padaria é também uma adega? 

Vamos além. Vinhos, espumantes, drinques, cafés, queijos, embutidos...Tudo o que acompanha bem o pão. O café da manhã com uma taça de espumante é perfeito!

Vocês começaram no Mercado Central. O Vila da Serra não é o oposto? Ou se complementam?

O Vila da Serra é a realização de um projeto e do sonho de um lugar para atender nosso público. Servimos o que aconselhávamos nossos clientes a fazer com os nossos pães: sanduíches, tartines, saladas; acompanhados de vinhos, cafés, drinques. Então, sim, se completam.

E 2022? 

2022 tem mais novidades! Aguardem!