Paulo Navarro | sábado, 28 de agosto de 2021

Entrevista com a Diretoria Corporativa de Relações Institucionais Ana Gabriela Dias Cardoso. Foto: Divulgação/Usiminas

Usina de Comunicação

O saudoso Chacrinha, tinha como um de seus mil famosos bordões, este: “Quem não se comunica, se trumbica”. Pura verdade, disfarçada de galhofa. E ninguém melhor que a RP, jornalista e comunicadora, Ana Gabriela Dias Cardoso, à frente da Diretoria Corporativa de Relações Institucionais da Usiminas. Atrás de uma grande ideia, uma grande empresa, descobrimos uma grande mulher e vice-versa.

Ana, são 25 anos de alegrias e experiências em Comunicação, Responsabilidade Social e Relações Institucionais?

Sim, muitas alegrias, muitos desafios, muita dedicação; aprendizados e conquistas importantes.

Tem uma “praia” favorita entre as três citadas?

São três processos diferentes, com diferentes complexidades e exigências específicas. Acredito que uma atuação estabelecida por meio da empatia, da transparência, da escuta ativa e do respeito acaba por ser o alicerce de tudo.

Você viaja muito, claro, a trabalho ou lazer? Mas para onde? Qual a melhor viagem que já fez e quais ainda quer fazer?

Com a pandemia, naturalmente, adequamos as agendas profissionais e pessoais às exigências do momento. As viagens até então faziam parte da minha rotina de trabalho, mas sempre gostei muito de viajar, também em família. Vejo sempre como momentos de novas experiências, aprendizados e crescimento. Tenho um especial prazer em viagens para praias e para lugares como Nova York, uma cidade diversa para onde tive a chance de ir algumas vezes e para onde sempre gosto de retornar.

O trabalho/desafio na Usiminas é, até agora, a cereja de ferro do bolo?

O trabalho na Usiminas, onde tenho a oportunidade de atuar pela segunda vez, tem sido um aprendizado permanente, além de muito gratificante. A empresa, como toda sociedade, vive um processo contínuo de transformação e evolução, que nos permite um crescimento contínuo.

Ultimamente, fica fácil dar boas notícias sobre a Usiminas, concorda?

De fato. A Usiminas é uma empresa que enfrentou desafios importantes e hoje se renova, apresentando resultados muito relevantes para seus acionistas, colaboradores, clientes e comunidades. Tenho muito orgulho de fazer parte dessa história de superação e reposicionamento como uma companhia importante para a Economia do país e para o crescimento da nossa sociedade.

Quais as lições pessoais da pandemia?

Sem dúvida, a importância da empatia e do quanto somos frágeis e dependentes uns dos outros.

E as profissionais?

Muitas. A nossa capacidade de adaptação e enfrentamento de desafios, a importância da informação rápida e de qualidade; o papel ainda mais estratégico assumido pela Comunicação nos novos tempos.

Sem bola de aço ou de cristal, como imagina 2022?

Aposto em um ano ainda de muitos desafios, mas, por outro lado, acredito que entramos numa rota de retomada em um novo ambiente, com uma Economia em crescimento e com um maior controle da pandemia no nosso país e no mundo.