Paulo Navarro | sábado, 24 de novembro de 2018

Foto: Edy Fernandes

Céu sem limites

Uma vida repleta, completa e ainda bem recheada de bons projetos. O amor do comandante José Afonso “Líder” Assumpção pela aviação não veio da infância, como nos filmes. “A primeira intenção foi escapar do serviço militar, mas aí o amor nasceu!”. E, assim, mesmo não morando mais no Brasil, “tenho orgulho do país e do povo! Aqui me criei, criei a minha família e é aqui que tenho a Líder!”.

Zé, como vai essa “Força Estranha que só reina em você”?

Alegria de viver! Agradecimento diário a Deus pela vida e tudo que me concedeu!

O comandante José Afonso se confunde ou se funde com a Líder Aviação?

Se funde! Um gerou a outra! A dedicação total a uma causa, a vida inteira, que não é curta, uma ligação muito forte!

85 anos de vida, 60 de Líder, dá para fazer um balanço?

Muito positivo, em todos os sentidos! Muito trabalho e coragem! Na evolução dos nossos aviões, dos monomotores Cessna 170, passando pelo Beech Bi, nosso primeiro bimotor, iniciando os voos por instrumentos e noturnos, no táxi aéreo, aos novos Aero Commanders e aos dez anos de Líder, o primeiro jato! O Learjet 24, s/n 176, o PT-CXJ! Nos helicópteros, do pequeno Bell Jet Ranger aos Bell 212 e 412, dos Sikorsky S-58T, S-76 e, mais recentemente, os S-92, os maiores do mercado, que transportam 21 pessoas! Mas são coisas materiais, só dependem de ter crédito, financiamento. Mas o principal, nosso pessoal! Sem uma equipe preparada, dedicada, nada disso seria possível! Seres humanos maravilhosos.

Qual a lembrança mais importante e a mais bonita que você tem da Líder?

A mais importante foi a chegada em BH, com o primeiro jato executivo de táxi aéreo em minha terra. Tendo o comandante Gabriel comigo, pedi à torre um sobrevoo. Autorizado, tirei um rasante na Afonso Pena e voltei para a Pampulha! Isso em 1968! O mais bonito, em 1971, fretado pela própria Learjet, levei para expor no Paris Air Show, o nosso Lear 25-C, 001. Nunca tinha ido à Europa! Cheguei às 16h, um dia lindo, sobrevoei a Cidade Luz, pela primeira vez pilotando o próprio jato!

O que espera destes novos tempos para o Brasil?

Espero muito dos que agora assumem o comando do país e dos nossos estados, do novo Congresso e do Ministro da Justiça! Símbolo de honradez e honestidade, pode nos levar aos altos voos, evitando as turbulências. É o que o Brasil merece!

Quais os planos para 2019?

2019 será talvez o mais crítico para nós, primeiro do novo governo, que, após se organizar, poderá mostrar os resultados que dele esperamos! A partir de 2020, início da longa e demorada recuperação! O estrago foi grande demais!

Qual é a bússola que ainda te norteia?

Manete para frente! É como diria o ministro Delfim Neto: “Tá bom, pé no acelerador! Tá ruim, pé no freio!” E agora, há algum tempo, passando tudo à segunda geração! Excelência, era o que tinha a dizer!