Paulo Navarro | sábado, 24 de abril de 2021


A nutricionista e consultora empresarial, Júnia Bethônico. Foto: Gilda Souza


O visível invisível

Hoje, conversamos com a nutricionista e consultora empresarial, Júnia Bethônico. A entrevista mostrou-se ainda mais pertinente focando em outra pandemia, mais fatal e maior que a da Covid-19, a obesidade. Obesidade que vai do simples “acima do peso” à mórbida, portas de entrada de outras 1001 doenças. Um alento saber que é “possível sim emagrecer, manter o peso ideal, cuidando de si mesmo”.

Júnia, muita gente fala da Covid-19 e esquece de outras pandemias fatais, como a obesidade, concorda?

Afirmo que a obesidade é o local onde as doenças se encontram. A situação atual é delicada e é preciso dar uma maior atenção à Covid-19. Porém, é preciso alertar sobre os riscos da obesidade. Prevenir e tratar a obesidade se tornou um desafio urgente na pandemia.

E os obesos são vítimas potenciais da Covid-19, como os diabéticos, os cardíacos, etc.? Os obesos morrem quatro vezes mais...

O obeso é naturalmente um inflamado crônico. A obesidade tem grande relação com outras doenças metabólicas, tais como o diabetes tipo 2 e a hipertensão arterial. Estas doenças aumentam o risco de complicações diante do novo Coronavírus.

Confirma os alarmantes dados de 800 milhões de obesos no mundo e uma em cada cinco crianças?

Em 2019, o diretor-geral da FAO, José Graziano da Silva, afirmou que mais de 800 milhões de famílias no mundo são obesas. A pesquisa também aponta a obesidade infantil, com dados alarmantes.

O que causa mais obesidade, sedentarismo ou comida ruim?

A alimentação corresponde a 70% de um resultado e a atividade física corresponde a 30%. A boa alimentação emagrece sim!

E a famosa genética?

Os genes contribuem de cinco a 20%. Isto é pouco! A maior influência na obesidade é a falta de atividade física e a má alimentação.

E além da Covid-19 agravada, a obesidade causa outras doenças?

Sim! Diabete Melittus, hipertensão arterial, doenças cardiovasculares, câncer, apneia do sono e osteoartrite. Além de afetar a saúde mental, podendo causar depressão e baixa autoestima.

Os obesos deveriam ser prioritários na vacinação?

Nas internações graves, 50% são casos que envolvem pessoas com obesidade, é bastante cabível que os obesos sejam vacinados com prioridade, além dos grupos já estabelecidos.

Os grandes vilões da Saúde continuam o açúcar e o sal?

Usados para realçar o sabor dos alimentos, o sal e o açúcar precisam ser adequados às necessidades de cada indivíduo.

Não existe milagre, nem tortura, mas é possível emagrecer e manter o peso ideal?

Realmente não existe milagre! Mas existe saúde e a possibilidade de uma vida plena. Recentemente concluí um projeto, entregando de forma gratuita 11 e-books, motivando a prática da alimentação saudável e cheia de prazer. É possível sim emagrecer, manter o peso ideal, cuidando de si mesmo. Cada alimento é uma dádiva que recebemos todos os dias. Desfrutar do que a terra nos dá é maravilhoso. Devemos a cada dia ser gratos por esta dádiva.