Paulo Navarro | sábado, 18 de abril de 2020

Foto: Felipe Boca

Juba pensante

Carlos Eduardo Leão é muito mais que presidente da Associação Brasileira de Cirurgia da Restauração Capilar, até 2021. Profissional e pessoalmente, suas competências vão bem além da esfera capilar. Esperamos não precisar de seus talentos médicos, especialmente no capítulo queimaduras. Contentamo-nos com a leitura do Blog do Leão, onde ele escreve sobre tudo com talento, sensatez e humor.

O ministro Mandetta é ortopedista. Para você, cirurgião plástico (queimaduras), escritor, este vírus é guerra ou histeria?

Um misto disso tudo. Pandemia é multidisciplinar. Parar um país tem repercussões sociais seríssimas na economia, infraestrutura, segurança pública, abastecimento e justiça. Desemprego, fome e violência são males tão ou mais importantes do que o próprio vírus.

 

O que é bom para tosse e gripe?

“Medicina é uma ciência das eternas verdades transitórias” é uma frase lapidar atribuída ao professor Pitanguy. O que pode ser bom hoje pode não ser amanhã. Nossa posição geográfica influencia no perfil epidemiológico, muito diferente do hemisfério norte. Sou fã dos cuidados com as mãos e máscaras.

leituras edificantes, exercícios físicos, convivência domiciliar e caminhadas”?

Fundamentais. Quarentena é reclusão social sugerida. Não é coercitiva nem impositiva. Isso é coisa de comunista. Acho que o brasileiro amadureceu politicamente e entende as ações do Governo. Como médico: caminhem, façam exercícios, leiam, convivam com a família e assistam menos TV. Tudo com bom senso e responsabilidade.

Como escritor, você tem também uma visão bem-humorada...

Outro dia saí para caminhar e, em menos de cinco minutos, ouvi, do alto de um prédio, um sonoro “Volta pra casa, véio!”. Em seguida, um agente da Guarda Civil me recomenda voltar para casa, pois sou do grupo de risco. Aprendi. Agora, boné preto e máscara.

E a tal da hidroxicloroquina? Dá samba, crônica e vida?

Sou totalmente favorável ao uso ambulatorial da hidroxicloroquina. Ao se chegar num pronto atendimento, em meio a uma pandemia, com tosse, espirrando, mal-estar e outros sintomas de virose, sou da “escola” que pensa que a droga está indicada nesta hora. Seis gargarejos/dia com água morna e sal, hidratação da mucosa nasal com soro fisiológico, repouso e reclusão social.

Você entrou na onda dos estoques? Sofreu alguma paranoia?

Ainda não estou paranoico, mas um amigo estocou máscaras para cinco ou seis pandemias. Álcool em gel, uns dois alambiques. Outro lava tanto as mãos que, segundo a esposa, está “perdendo as impressões digitais”.

O corona é a nova Teoria do Caos?

Tenho me referido ao “Efeito Corona” como o clássico “Efeito Borboleta” e sua evolução à Teoria do Caos. A quarentena deve continuar, mas revista, mais flexível e com o retorno paulatino às atividades essenciais. Máscaras nas ruas e no transporte público. Precisamos retomar nossas vidas com responsabilidade e cidadania.