Paulo Navarro | sábado, 17 de agosto de 2019

Foto: Fotografa Lídia Jardim


O que é fundamental

Alexandre Meira graduou-se na Faculdade de Medicina da UFMG em 1991. Especializou-se em Cirurgia Plástica pelo MEC, CFM e SBCP em 1996. É membro Titular da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica e presidente da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica – Regional MG – SBCP-MG (2018 – 2019). Para o poeta Vinicius de Moraes “beleza era fundamental”. Para Alexandre, há controvérsias...


Alexandre, qual o papel da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica?

O papel é fiscalizar os médicos cirurgiões quanto às suas qualificações e práticas, para que as pessoas tenham segurança quando operadas por profissionais que se enquadram dentro das leis estabelecidas.

São quantos cirurgiões no Brasil? Onde está a maioria e onde estão os melhores?

Somos aproximadamente seis mil no Brasil. Em Minas, em torno de 800 cirurgiões plásticos. No ranking da SBCP, ocupamos o terceiro lugar, depois de São Paulo e Rio de Janeiro.

E o papel dos médicos mineiros no cenário científico nacional?

Muito importante. Frente ao número de cirurgias plásticas realizadas, Minas é o estado que possui a maior frequência de operações. Nossos cirurgiões plásticos fazem o maior número de cirurgias por pessoa.

O Brasil continua em segundo lugar mundial no ranking mundial de cirurgias plásticas?

Sim, o segundo que mais realiza cirurgias plásticas.

A qualificação é um problema?

O fato de outros profissionais fazerem os procedimentos torna a população exposta a possíveis complicações. Então, a SBCP tem uma função muito importante: fiscalizar, adequar e proteger a sociedade. O cirurgião bem informado e qualificado faz um procedimento mais seguro.

Qual a principal missão da SBPC?

A científica. Ela fiscaliza e aprimora seus membros no plano técnico, científico e ético. Além disso, trabalha na atualização dos cirurgiões já formados por meio dos vários eventos, como congressos e simpósios promovidos em todo o Brasil durante o ano.

Em que área os brasileiros se destacam? Na cirurgia estética ou reparadora?

A cirurgia plástica é individual e indivisível. Então, toda cirurgia estética tem um cunho reparador. Quem faz operação na mama deseja que fique bonita, é a parte estética.

É verdade que as redes sociais exercem importante influência na procura pela cirurgia plástica?

A exposição é feita de forma muito irresponsável. Diante disso, muitos profissionais utilizam de fotos mostrando o pré e os pós-operatórios, com luzes que alteram os resultados. Isso dá a ideia irreal de perfeição, de resultados milagrosos. Qualquer procedimento tem riscos e o profissional deve orientar o paciente.

Que tipo de “beleza é fundamental”?

Não existe. O corpo perfeito é algo fantasioso. Fotografias são totalmente diferentes da realidade quando o paciente vai ao consultório. A partir do momento que você faz uma cirurgia plástica bem-feita você traz a beleza interior para fora da pessoa.