Paulo Navarro | sábado, 15 de agosto de 2020

Foto: Divulgação CSUL

Admirável Novo Mundo

Entrevistar o economista e presidente da CSUL, Maury Bastos, é como entrevistar o futuro prefeito, perdão, o futuro perfeito! Como poderão ler a seguir, o projeto funciona como relógio suíço em tudo, pensou em tudo. E ainda vem com o aval de um gênio, Jaime Lerner. É um raro prazer, enfim, conhecer o “país do futuro”, o país que vai para frente, levando em conta a tecnologia, o social, o meio ambiente e a modernidade. A CSUL é tão impecável que deu até vontade de convidá-la para dar um jeito no resto da cidade, a começar pelo centro, completamente abandonado, terra arrasada. Principalmente quando sabemos que, nas maiores e mais lindas metrópoles do mundo, o centro é o espaço mais especial, rico e atraente. O centro, mesmo em BH, uma jovem capital, é o único espaço onde passado e futuro podem rimar, em total harmonia. Soltem os cintos e boa viagem.

Maury, contextualize a CSul para quem não sabe.

Criada em 2014, a CSUL Desenvolvimento Urbano é uma holding que implementará a Centralidade Sul, projeto de desenvolvimento urbano planejado, integrado e sustentável, liderando o desenvolvimento econômico no vetor sul da Região Metropolitana de Belo Horizonte, em Minas Gerais. Por meio do desenvolvimento e do fomento econômico, a CSUL irá promover a diversificação econômica do vetor sul, criando um polo de atração de novos negócios, com reflexos em toda a economia mineira.

Trata-se do maior projeto de desenvolvimento urbano da América Latina? 

Localizado no entorno da Lagoa dos Ingleses, em Nova Lima, região metropolitana de Belo Horizonte, e com assinatura do renomado urbanista Jaime Lerner, o Projeto CSul segue os conceitos do novo urbanismo e irá desenvolver a região com bairros planejados. Empreendimentos residenciais, comerciais, industriais, culturais e de lazer pautados pela sustentabilidade, trazendo fomento e diversificação econômica para toda região.

Ele está inserido no Plano Diretor de Desenvolvimento Integrado da região metropolitana?

O Masterplan da CSUL está alinhado com o Plano Diretor de Nova Lima, que tem como objetivos definir o crescimento da cidade para os próximos anos, visando ordenar o seu desenvolvimento econômico e social, de modo que integre todas as regiões do município, levando em consideração as características de cada lugar e a preservação do meio ambiente. Também está inserido no âmbito estadual, por meio do Plano Diretor de Desenvolvimento Integrado da Região Metropolitana de Belo Horizonte (PDDI-RMBH).

Sustentabilidade na ordem do dia?

A sustentabilidade é um dos principais pilares do projeto, que irá proporcionar uma área verde por habitante cerca de seis vezes maior que em Belo Horizonte. Com a preservação de 60% do território em terreno natural, oferecerá corredores ecológicos, drenagem natural, além de permitir um alto índice de permeabilidade do solo, garantindo altos índices de infiltração e retroalimentação dos reservatórios subterrâneos da região com água da chuva. Planejar o futuro hoje, inovando nas soluções e criando oportunidades no presente; ter a ética e o respeito como prioridade, valorizando a diversidade e heterogeneidade; e investir em um futuro com foco na sustentabilidade ambiental, econômica e social.

Home office/meio ambiente/família num mesmo espaço com acessibilidade, acesso a pedestres, ciclovias, mobilidade. Tendências?

A vitalidade urbana depende das pessoas, somos nós que dinamizamos o desenvolvimento econômico, social e as inovações. Acredito que veremos uma aceleração na tendência de criação de espaços de convívio mais amplos para circulação e encontro das pessoas. Mais do que nunca o ser humano quer se conectar mais com a paisagem, com a natureza, reforçando laços sociais e culturais.

Qual a estratégia/dinâmica de ocupação de um modelo CSul?

O CSul contempla conceitos do novo urbanismo, com bairros residenciais planejados, empreendimentos comerciais, industriais, culturais e de lazer. Todos pautados pela sustentabilidade e fomento à diversificação econômica. Desde o lançamento do projeto, em 2013, já foram gerados mais de R$ 400 milhões em negócios. Em parceria com o Grupo EPO e a Locare, o CSul entregou o primeiro shopping da Lagoa dos Ingleses, o Navegantes, que conta com lojas âncoras como Supermercado Super Nosso, Drogaria Araujo, Store e Americanas Express. E um complexo do Grupo Cineart com três salas de cinema de última geração. O projeto engloba ainda um campus da PUC Minas e já atraiu investimentos de empresas nacionais como BiotechTown, Biomm, Suplimed e Visontech.

Qual o futuro das cidades a partir da concepção do urbanismo?

São conceitos de desenvolvimento urbano mais humano, inteligente, criativo e sustentável. Acreditamos que haverá uma evolução no modo de vida após a pandemia. Muitos descobriram, por exemplo, que trabalhar em casa é viável e produtivo. Após esse período, as pessoas vão querer cada vez mais alternativas para economizar tempo em deslocamentos, morar perto de centros de serviços e entretenimento, ter amplo acesso a espaços ao ar livre. Em outras palavras, morar, trabalhar, divertir, tudo junto, de forma inclusiva e com respeito à natureza e aos recursos naturais. E é isso que buscamos oferecer com o desenvolvimento urbano da Centralidade Sul.

A distância de projetos como o da CSul são fatores contornáveis? De que forma?

O novo momento vai ajudar a fortalecer os vínculos das pessoas com as regiões onde moram, mostrando a importância do desenvolvimento de polos de vizinhança e centralidades junto aos principais centros urbanos. As pessoas vão buscar realizar as atividades de compras e serviços no seu entorno imediato, reforçando a dinâmica da economia local, voltando sua atenção para o micro e valorizando os pequenos produtores de forma mais natural, além dos aspectos de solidariedade e sustentabilidade.