Paulo Navarro | sábado, 11 de dezembro de 2021

Entrevista com o presidente da FAEMG Antônio de Salvo. Foto : Rafael Mota

Salve Salvo

A Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Minas Gerais tem novo presidente eleito. A chapa 1, Inova FAEMG, foi a “big” vitoriosa. Com 198 votos, o engenheiro agrônomo e produtor rural Antônio Pitangui de Salvo foi eleito. Conversamos rápida e informalmente com Antônio que, além de rimar com nosso otimismo, mostrou e prova que Minas e Brasil passam muito bem, obrigado. Sirvam-se!

Antônio, que presentes e desafios herdou do ex-presidente, Roberto Simões?

Herdamos um Sistema FAEMG forte e organizado. O desafio é torná-lo ainda mais forte e representativo em todo o estado de Minas Gerais.

Quais serão os focos ou qual será a prioridade da tua gestão?

A prioridade será o lema: “Menos BH. Mais interior”. Traduzindo, isso significa um olhar mais cuidadoso sobre os 386 sindicatos rurais de Minas Gerais e seus representados.

Explique aos leitores de O TEMPO, em poucas palavras, o que é a Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Minas Gerais - FAEMG?

O Sistema FAEMG/SENAR (Serviço Nacional de Aprendizagem Rural) / INAES (Instituto Antonio Ernesto de Salvo) / Sindicatos é o legítimo representante de todos os produtores rurais mineiros em suas diferentes atividades, nas questões ambientais, políticas, sociais e econômicas. Sistema forte, agro forte.

Concorda com os especialistas, de todo o mundo, quando dizem que o Brasil é o celeiro do mundo?

Sim e vamos continuar produzindo cada vez mais. Somos, até o momento, o único país capaz de produzir, de forma sustentável, alimentos para o mundo.

E dentro deste mesmo contexto, Minas Gerais é o celeiro do Brasil?

Minas Gerais é celeiro da diversidade, não da quantidade. Temos uma gama de produtos que nenhum outro estado brasileiro tem.

E aquele bom e velho slogan “Exportar é o que importa”? ainda é válido?

Sim, exportar é importante, mas desde que o abastecimento interno seja atendido.

Engenheiro agrônomo, produtor rural! Quais as tuas especialidades?

Sou selecionador de genética na raça Guzerá PO e seus cruzamentos. Além disso, temos pecuária de corte e leite. Trabalhamos também com Sistema ILPF – Integração Lavoura Pecuária Floresta – num projeto CCN – Carne Carbono Neutro.

 

Foto: Maria Teresa Leal

Dirigir o Sistema FAEMG/SENAR/INAES/Sindicatos, mais que uma honra, é “A” responsabilidade?

Comecei a atuar diretamente no Sistema FAEMG em 1998, quando fui presidente do Sindicato dos Produtores Rurais de Curvelo, pela primeira vez. Em 2019 voltei à presidência do Sindicato de Curvelo e, agora, em 2021, fui eleito presidente do Sistema FAEMG/SENAR/INAES/Sindicatos com a vontade e a missão de representar os meus pares em todos os municípios mineiros, em suas diversas atividades produtivas do agro, da melhor forma.

Como espera 2022, que está logo ali na “esquina”?

Espero o fim da pandemia com o crescimento de Minas e do Brasil compatível com o tamanho do nosso agronegócio. O agro não parou e não vai parar.