Paulo Navarro | quinta-feira, 4 de abril de 2019

No lançamento da coleção outono/inverno da Schutz, o CEO da Arezzo&Co., Alexandre Birman, e Fernanda Borges Coelho, anfitriã da noite

Foto: Edy Fernandes

No mesmo evento, que aconteceu no BH Shopping, a franqueado da Schutz em Belo Horizonte, Fernando Resende Coelho, ao lado de Luciana Wodzik e César Oliveira

Foto: Edy Fernandes

Armadilhas do tempo

Dia 8 de julho de 2014, o gaiato chegou à casa da namorada para assistir a Brasil e Alemanha, no Mineirão, pela Copa do Mundo. A moça estava vestida com cores neutras e o namorado sugeriu que ela fosse trocar roupa, colocar algo verde e amarelo. Enquanto ela foi trocar de camisa, o Brasil tomou três gols da Alemanha. Tomaria mais quatro, no Mineiraço. O tempo nos prega peças e já vale mais nada.

Armadilhas do amor 

A efemeridade do tempo, a debilidade dos relacionamentos atacou de novo. Amiga nossa, recentemente comprou passagem e hospedagem “a perder de vista” para casamento em Trancoso. Foi, curtiu, voltou e continuou a pagar as parcelas. Três meses depois o casal já tinha se separado.

Armadilhas sem amor 

Ou seja, o casamento durou menos que o investimento da amiga do casal em hotel e passagem aérea. Tudo bem que casamentos já acabaram no altar ou depois da lua de mel. A diferença agora é a frequência. Exatamente quando as pessoas têm todo o tempo para se conhecer e ter certeza.

Sem mimimi 

Até a vitória de Bolsonaro, as pessoas tinham vergonha de ser de direita. Pegava mal, era sinônimo de reacionário, conservador, elitista, nazista e fascista. Agora, muitas pessoas batem no peito e orgulhosamente se anunciam de direita. O exemplo mais bem-humorado da tendência é a inauguração do primeiro bar de direita no Brasil, o Destro Bar, aqui em Belo Horizonte. O espaço é fundamentado nas leis do liberalismo e do conservadorismo. Frases e figuras de posição liberal decoram as paredes.

Curtas & Finas

* Ainda sobre o Destro Bar: ele tem quatro sócios e fica no Cruzeiro. Não sabemos se o bar exibe esta frase de Roberto Campos, mas deveria.

“É divertidíssima a esquizofrenia de nossos artistas e intelectuais de esquerda: admiram o socialismo de Fidel Castro, mas adoram também três coisas que só o capitalismo sabe dar – bons cachês em moeda forte; ausência de censura e consumismo burguês; trata-se de filhos de Marx numa transa adúltera com a Coca-Cola...”.

* Dia 20, o músico Gustavo Andrade estreia sua Soul Orchestra no Serra Do Caraça Bierfest, em Catas Altas. No repertório, clássicos do soul e composições próprias.

* O CCBB-BH recebe o espetáculo “O Imortal”, com texto baseado no conto homônimo do escritor argentino Jorge Luis Borges, estrelado pela atriz Gisele Fróes. De 26 de abril a 27 de maio.

* O DiamondMall celebra o Outono/Inverno, com a pop-up store da Casa Câmara, um dos mais completos e admirados antiquários de Minas. Art dèco e art nouveau pelos corredores.

* O vice-governador de Minas Gerais, Paulo Brant, convida para a cerimônia de posse dos novos dirigentes do Sistema Estadual de Cultura.

Hoje, a partir de 19h, no Foyer do Grande Teatro do Palácio das Artes.