Paulo Navarro | quinta-feira, 29 de outubro de 2020

Alto-astral e otimismo para Mário Mateus, Maria Abadia, Natália Archanjo e Anna Beatriz Mateus

Foto: Edy Fernandes


Que crise?

Recebemos de um leitor notícia da Agência O Globo, que rima com o que escrevemos, há pouco, sobre o turismo em torno de Furnas. O sol nasce para todos, mas a sombra é para poucos, pelo menos nas areias de Trancoso. Sem poder viajar para o exterior, por conta da pandemia, o brasileiro de alta renda “invade” casas de luxo nas praias da Bahia, elevando os preços dos aluguéis de temporada à estratosfera. O que vale para todo o nordeste de luxo.

Que pandemia?

Pelo menos duas casas, entre as mais sofisticadas, foram alugadas por R$ 1 milhão para réveillon de dez dias. Há diversas casas por R$ 600 mil ou R$ 800 mil. As mais caras têm pelo menos cinco suítes, para no máximo dez pessoas. E o preço é “all inclusive”: cozinheira, arrumadeira e garçom. O mercado está tão aquecido que um banqueiro da Faria Lima tentou alugar uma casa, por quatro dias, no último feriado, R$ 25 mil a diária e foi esnobado pela proprietária que queria cinco diárias e fechou com outro.

Que prejuízo?

“Com as viagens ao exterior paradas por conta da pandemia, Pedro Henrique Garcia, sócio da Blue Travel, diz que só recebe ligação de cliente pedindo ajuda para conseguir casa para alugar ou no máximo hotel com chalé. “Estou perdendo negócio por não ter mais nada para alugar nos condomínios mais bacanas do litoral ou de Trancoso. As pessoas estão pedindo o que querem e tem gente pagando”, diz Pedro Henrique.


Em clima de trabalho e serenidade, Pedro Ariel, Lívia Pedreira e Eduardo Faleiro

Foto: Edy Fernandes


Exército bom

Dia 12 de setembro foi lançada a campanha de captação de recursos para a criação de duas equipes permanentes e aparelhadas de brigadistas, atuando na prevenção e no combate a incêndios no Alto Pantanal. Rapidamente, o movimento ganhou o apoio de milhares de pessoas, empresas e instituições. Em comum, todos manifestam sua solidariedade em defesa das comunidades e dessa biodiversidade que enfrentou os piores incêndios de sua história.

Exército belo

As doações vieram de todo o país e em valores os mais variáveis. Solidária à questão ambiental, Gisele Bündchen doou R$ 100 mil via seu Fundo Luz Alliance na BrazilFoundation, instituição com sede em Nova York que identifica e apoia iniciativas que permitam igualdade de acesso, justiça social e oportunidades para os brasileiros. Para Gisele, “Estamos todos conectados, precisamos aprender a viver em equilíbrio com a natureza e honrar suas dádivas”.


Curtas & Finas

*De hoje ao dia 31, a galeria Fortes D’Aloia & Gabriel, de São Paulo, apresenta, na Art Basel, Suíça, a exposição “Five Women in Brazil in the 1990s”. No time estão Adriana Varejão, Beatriz Milhazes, Jac Leiner, Leda Catunda e Valeska Soares. “Grandes obras históricas de artistas cujos trabalhos alcançaram uma relevância inegável, presenças centrais na cena que floresceu no Brasil, no final dos anos 1980 e 1990”.

* O Centro Cultural Banco do Brasil Belo Horizonte reabre no dia 4 de novembro. O prédio passou por diversas adaptações para que pudesse receber o público com a maior segurança possível. “Estamos muito contentes com o retorno das atividades presenciais do Centro Cultural Banco do Brasil Belo Horizonte. Segurança e qualidade”, destaca Leonardo Camargo, Gerente Geral do CCBB BH.

A reabertura será gradual e, na primeira semana, a novidade será a visita com audioguia, no app CCBB BH. A partir do dia 11 de novembro, a exposição “Ivan Serpa: A Expressão do Concreto”, ampla retrospectiva de um dos artistas mais importantes da arte moderna e contemporânea brasileira.

 * Com o cenário de muitas mudanças no dia a dia das pessoas e instituições, a Associação Brasileira de Recursos Humanos – Minas Gerais (ABRH-MG) realiza uma edição especial do “Prêmio Ser Humano”. Neste ano a proposta do prêmio é mostrar Ações de Gestão de Pessoas voltadas para o enfrentamento da crise gerada pela Covid-19, com iniciativas de pessoas e organizações