Paulo Navarro | quinta-feira, 28 de maio de 2020

O músico Marcos Rabello, que está finalizando um set de quatro faixas autorais de composições com uma marca pop/world music e presença forte do violino, assim como letras do cotidiano

Foto: Arquivo pessoal/Divulgação

Direto do túnel do tempo, o querido e saudoso jornalista Ricardo Boechat, ao lado do titular da coluna

Foto: Arquivo pessoal/Divulgação

Noite sombria

Eterna caixa de ressonância das “criaturas da noite”, a coluna registra o desabafo da promotora de festas e eventos Tereka Araujo: “A gente passa tanta alegria para as pessoas no dia a dia e, nestes tempos difíceis, nos sentimos esquecidas”. E Tereka cita o exemplo de infinitos profissionais que trabalham em eventos como DJs, garçons, barmen, músicos, manobristas, porteiros, decoradores, floristas, fotógrafos, bufês, iluminadores e demais tribos, fundamentais a infraestruturas de festas e baladas da noite.

Noite dos tempos

Tereka Araújo, que também trabalha em casas de shows e dança, relata a precariedade financeira pela qual passam esses espaços, antes de cheios de vida, hoje na “UTI e sem aparelhos”. Segundo ela, muitos profissionais dessa delicada área, sem conseguirem os benefícios do Governo, devido à informalidade, amargam situação precária sem um porta-voz junto aos governos. Vale lembrar que, não só os trabalhadores desse setor, mas todos os outros informais, estão sob a mesma tempestade.

Luz nas sombras

Por falar em Governo, ótima notícia recebida da Secretaria de Estado de Governo de Minas Gerais (Segov): “‘Quando os médicos chegaram, eu não tinha mais esperança, mas ouvi alguém dizer que o meu coração estava chegando, comecei a cantar, a rir. É outra vida, viver de novo e eu estava morrendo’”. O depoimento é de Mara Aparecida Ribeiro, 35 anos. Seis meses após o transplante de coração, a vida de Mara segue caminho para voltar à normalidade.

Luz nos céus

Quanto aos transplantes, desde o início de seu governo, Romeu Zema determinou o uso compartilhado das aeronaves de Minas – algumas para seu uso exclusivo. Como a ação continua, nestes tempos de coronavírus, não sabemos, mas os bons resultados estão aí. Em 2019, Minas foi premiada pelo Ministério da Saúde como o estado que mais captou órgãos no país. Houve um crescimento de 42% da captação de doadores em relação à 2018.

Luz no horizonte

De acordo com os fatos, os trabalhos continuam. “No início deste mês, o trabalho do Gabinete Militar do Governador também auxiliou uma operação histórica. A missão foi no Norte de Minas, de onde trouxe um coração para uma criança de 13 anos, na capital. O transporte possibilitou o primeiro transplante cardíaco pediátrico da história da Santa Casa de Belo Horizonte, considerada referência em transplantação em Minas Gerais.

Curtas & Finas

* O Projeto Lagoa Santa Solidária promove ações de apoio às pessoas em situação vulnerável, especialmente nesse período de distanciamento social.

Por meio desse projeto, Marcos Brandão, diretor-presidente da BH Airport, ministra o curso online gratuito “Modelo de Gestão de Negócios e Estratégia Empresarial”.

Na “plateia”, 60 empreendedores dentre micro e pequenos empresários do município de Lagoa Santa. Na inscrição, os participantes doam uma cesta básica ao projeto.

“Conversamos sobre o momento e como podemos contribuir com ações efetivas que garantam o desenvolvimento dos negócios, das pessoas e da região”, ressalta Brandão.

O curso acontece por meio de webinar na plataforma Zoom, até amanhã, das 17h30 às 18h30. Para mais informações, acesse o perfil do projeto no Facebook: https://lnkd.in/ddWBqJh.

* Está chegando a hora da declaração do Imposto de Renda. Ao mesmo tempo, é grande o crescimento de locação de telhados de condomínios para instalação das antenas de telefonia.

Ações contratadas de forma amadora pelos condomínios que dispensam assessoria jurídica.

É aí que o advogado Kênio Pereira, presidente da Comissão de Direito Imobiliário da OAB-MG e também vice-presidente da Comissão Nacional de Direito Imobiliário da OAB Federal, faz um alerta...

“Milhares de proprietários de apartamentos, salas e lojas poderão cair na malha fina por não declararem sua parte do aluguel. Aluguel também de fachadas e placas no teto do prédio utilizadas para publicidade”.

Para a Receita Federal são áreas comuns que pertencem aos coproprietários e não ao condomínio, pois este não tem personalidade jurídica e está isento de impostos.

* Dia 18, o Grupo Keralty, empresa de serviços de saúde, inaugurou o Espaço Keralty Oncologia, no Barro Preto.

Com uma área dedicada à oncologia, o grupo tem 40 anos de atuação em sete países, com cuidado continuado e integrado ao paciente.

A unidade conta com seis leitos de infusão, dois consultórios médicos, sala de enfermagem e farmácia. Investimento de aproximadamente R$ 1 milhão.

Essa estrutura fará parte do Centro Médico Keralty: pronto atendimento, sala de observação, de medicação, de pequenos procedimentos, laboratório clínico e 30 consultórios com diversas especialidades médicas.