Paulo Navarro | quinta-feira, 27 de fevereiro de 2020

Celebrando 43 anos de casados, Eduardo “Beijinho” Pereira e sua Beatriz

Foto: Paulo Navarro 


Construindo no passado 

Com 40 anos de mercado e atuação em mais de 160 cidades, a MRV é a primeira Construtech de grande porte do mercado brasileiro. Primeira empresa de construção civil a colocar em funcionamento uma plataforma de vendas no qual o consumidor pode realizar todo o processo de compra de um apartamento por meio digital. Mais de R$ 250 milhões em transformações digitais nos processos construtivos.

Construindo o futuro 

E, claro, soluções com foco total no consumidor. A MRV é referência e está entre as empresas mais inovadoras do Brasil, segundo a revista “Forbes”. Para Flavio Vidal, gestor executivo de inovação da MRV, a companhia está atenta às mudanças que passa à sociedade e para o futuro.


Herança maldita

Há uma semana, numa entrevista, o biólogo de formação, fundador do antigo Clube dos Pensadores e atual diretor-geral da Organização Internacional para as Migrações (OIM), Joaquim Jorge, parecia dirigir-se ao Brasil: “Portugal não tem conserto. É um país de ladrões de colarinho branco. O tema corrupção já cansa em Portugal, todo dia há mais um caso”.

Herança mórbida 

E Joaquim Jorge continuou: “Portugal é um país adorável, mas muito mal frequentado. São tantos os casos e os enredos que já se tornou natural; mais um político, mais um banqueiro, mais um empresário. Enfim! Portugal está a saque e os portugueses a verem e nada poderem fazer”.

Herança e vingança 

Por isso que famoso médico mineiro desabafou à coluna: “Era apaixonado, queria morar e trabalhar em Portugal, mas desisti. O povo acha que tudo é obrigação do Governo, não existe iniciativa privada (daí a corrupção). Abortei meu projeto de vida, infelizmente. E lá não volto mais”. Depoimento de um brasileiro decepcionado com a zona de conforto do povo português, que não sai da letargia e da dependência do Estado centralizador. Ainda bem que o turismo salva o país socialista. Por enquanto.


Curtas & Finas

* Hospital da Baleia ganha, novamente, o Selo Doar, pela transparência da governança da Instituição sobre os recursos recebidos em doação.

Um reconhecimento às organizações com boas práticas de governança e de transparência na aplicação dos recursos.

* A professora e cirurgiã-dentista Shalimar Salles foi reconhecida pelo 25º Congresso Internacional da Sociedade Brasileira de Odontologia e Estética (SBOE) com o prêmio de melhor caso estético orofacial do ano.

Assim, recente e merecidamente, Salles reuniu em sua casa amigos, familiares e profissionais da área para um jantar de celebração.

* À frente do seu tempo, exemplo de garra e empreendedorismo, a fundadora da Forno de Minas, Maria Dalva Couto Mendonça, Dona Dalva, será homenageada.

Homenageada com a Ordem dos Cavaleiros da Inconfidência Mineira (OCIM), em comemoração ao Dia da Mulher, celebrado mundialmente no dia 8 de março.

Dia 7 de março, às 19h, no Auditório Presidente Juscelino Kubitscheck (Cidade Administrativa).