Paulo Navarro | quinta-feira, 23 de abril de 2020

Direto do túnel do tempo, em coquetel na capital mineira, Andrea e Carlos Bacha

Foto: Edy Fernandes

No mesmo evento, que reuniu quem faz e acontece, o casal Roberta e Walter Pace

Foto: Edy Fernandes

Insights do coronavírus 

Neste admirável, ou não, Mundo Novo, um novo mundo vem aí, depois do coronavírus. Mas, atenção. A pandemia não gerou este mundo, apenas o antecipou. Registrado isso, passemos ao pensamento de Silvio Meira, consultor de empresas. “Empresas terão que abandonar a ‘gambiarra digital’. Ou é digital mesmo ou não é. Plataformas digitais competentes, mesmo que sejam pequenas, são as que vão sobreviver”.

Insights do tempo 

“O comércio online deixa de ser secundário. As lojas físicas serão redesenhadas como experimentação da marca, mas as vendas migrarão mais rápido para o online do que se imaginava antes. 95% das lojas Starbucks foram reabertas na China, mas o movimento é de 60% do que era”.

Insights da vida

“As pessoas não consomem mais na loja, compram e se vão. Starbucks tem que rever e reduzir o espaço. Os maiores varejistas americanos já demitiram mais de um milhão e devem reempregar somente 85% deles no fim da crise. A explicação é que o comércio tradicional vai encolher”.

Insights do destino

“As seguradoras sofrerão profundas transformações. Educação online antecipa uma tendência natural. Sai o estoque ‘just in time’ e entra o ‘just in case’, as empresas aprenderam com a crise que precisam ter estoques maiores de segurança, principalmente quem tem cadeias longas de fornecimento. EUA desenvolveram uma cadeia de supply com a China nas últimas décadas que fez com o tempo os americanos perderem capacidade tecnológica de fabricar no país. Isso vai

mudar por questões de segurança”.

Curtas & Finas

* Continuam os “insights sobre o coronavírus”: “O globalismo sofrerá um duro revés, substituído pelo protecionismo”.

“Redução absurda nas viagens de negócios. Teremos um surto de vírus por década. O comércio online funcionou e vai aumentar”.

“Conclusão: quem hoje está ocupado já precisa começar a pensar na sua futura profissão, tem que se atualizar o tempo todo nas novas tecnologias”.

“Na sociedade do conhecimento não existe ‘ex-aluno’. Ou você está aprendendo o tempo todo ou está desempregado”.

“Não vejam a crise como momento de cortar custos. Pensem em investir em novas áreas, em novas tecnologias, vai ter muita oportunidade para as empresas que agirem rápido”.

“Viveremos um ‘novo normal’, a vida será diferente, ninguém sabe exatamente como, mas temos que estar preparados para nos adaptar”.

“O setor agrícola brasileiro tem uma oportunidade de ouro, precisa investir cada vez mais em tecnologia e digitalização, e na qualificação dos seus profissionais e gestores”.