Paulo Navarro | quinta-feira, 11 de junho de 2020

De olho na flexibilização de venda de álcool e dias melhores nos negócios do Empório Paraíso, no Vila da Serra, Ângelo Marino e Eloisa Rabelo, proprietários da casa, conservam a boa safra de vinhos da casa

Foto: Arquivo pessoal/Divulgação


Nova Fartura

Lembram do mundo normal? Nele existia a Plataforma Fartura – Comidas do Brasil. No já famoso “novo normal”, a Plataforma Fartura também existe e com o mesmo objetivo: mapear para o público o caminho do ingrediente, da sua origem até o prato. Em forma de conteúdo e experiência, a plataforma cria conexões entre os integrantes dessa cadeia.

Renovada Fartura

A Plataforma Fartura são as Expedições Fartura: viagens por todo o Brasil levantando histórias, personagens, ingredientes e receitas. Foram 276 cidades visitadas e cerca de 650 entrevistas. É também Conteúdo Gastronômico: o conhecimento no site e redes sociais, premiados vídeos e livros, programas de rádio e em projetos customizados.

Renovado festival

Os Festivais Fartura: o encontro entre produtores, chefs e estudiosos com o público. Os eventos em Belém, Brasília, Porto Alegre, São Paulo, Tiradentes, Belo Horizonte, Conceição do Mato Dentro, Fortaleza e também em Lisboa, Portugal. Até 2019, os festivais receberam mais de 850 mil pessoas, em 3.300 atividades e 1.265 apresentações culturais.

Renovado no Novo

Assim, o Projeto Fartura lança, nos dias 19, 20 e 21 de junho, a edição digital do festival Fartura – Belo Horizonte. Extensa programação que vai da gastronomia à cultura, contemplando também lives de economia criativa e agronegócios. Mais de 160 atrações adiantando a celebração dos 300 anos de Minas Gerais, em 48 horas de programação gratuita, no site (farturabrasil.com.br).

Renovado de novo

“O principal objetivo do Fartura, nesta edição, é dar continuidade ao projeto, ajudando na recuperação econômica do estado e da cidade e, ao mesmo tempo, estimular a autoestima dos mineiros”, explica o diretor do projeto, Rodrigo Ferraz. Uma ação coletiva, que, além dos patrocinadores, envolve o apoio institucional da Abrasel, CDL-BH, ABAV-MG, ACM – Minas, do Governo do Estado de Minas Gerais, PBH, Sesc e Senac.

Renovado e solidário

No lado “da hora”, o solidário: para a cada prato vendido serão doados cobertores e refeições para os moradores de rua da cidade. “É um movimento verdadeiro, pois vamos levar para a casa das pessoas, de forma online, as nossas essências – a gastronomia, que nos mantém vivos, e a cultura, que é nossa história”, completa Ferraz.

Renovado e caseiro

O Fartura terá cuidado e atenção, obedecendo protocolos de segurança e saúde. Na Programação Gastronômica, o Chef em Casa. Mais de 35 restaurantes mineiros, onde o público confere vídeos dos chefs preparando pratos, lanches e sobremesas, disponíveis para delivery. Depois, será possível baixar um e-book com todas as receitas.

Caseiro e farto

Em Receita do chef, conhecimento, em aulas ao vivo e streaming. Dica do chef: 40 vídeos de um minuto de preciosas dicas de especialistas, para quem quer se aperfeiçoar na cozinha. Mercearia Fartura – Sebrae: pequenos produtores, assim como na versão presencial dos Festivais Fartura, terão espaço garantido na versão digital.

Farto e vário

Mais de 30 produtores mineiros em e-commerce para que o público possa receber os produtos em casa. Cursos de Capacitação/Senac: para profissionais do setor e do público em geral, cursos gratuitos, de segurança alimentar e boas práticas para manipuladores de alimentos conforme a regulamentação da Anvisa.

Vário e completo

Origem ao prato – food network: vídeos de 25 estados que mostram a trajetória dos ingredientes até a finalização do prato. Livros e Filmes disponibilizados gratuitamente. Para crianças: contação de histórias, dicas de chefs para pratos em família e e-book com receitas infantis para colorir, ilustrado pela artista e ilustradora Ana Strumpf.

Completo e rico

Programação Cultural, Música e Teatro/Sesc: com mais de 15 artistas mineiros. Fotografia e vídeo, com João Wainer e Thiago Santos. Arte Urbana, com Felipe Morozini e projeções de frases em Belo Horizonte sobre o contexto atual que o mundo está vivendo. Artes Manuais – Faça Você Mesmo: o passo-a-passo da criação de utensílios de cozinha.

Rico e farto

Empreendedorismo e Negócios. Lives com os temas: “Meu negócio para chamar de seu” e “O futuro do agronegócio”; o curso em três módulos “Empreendedorismo gastronômico” e dois painéis promovidos pelo NovoAgro Ventures, que abordam soluções tecnológicas para o agronegócio. No mais: www.farturabrasil.com.br, Instagram/FarturaBrasil e Facebook /FarturaBrasil.


Mais comida

A Casa Fiat de Cultura prepara série “Cultura na Cozinha”, abordando gastronomia e patrimônio, com vídeos como vitrine de ingredientes que todo mundo tem em casa e são patrimônios. Ingredientes essenciais nas culinárias mediterrânea e francesa, consideradas Patrimônio Imaterial da Humanidade, pela Unesco. Durante junho, os seguidores poderão assistir a um vídeo por semana, produção realizada em parceria com grandes chefs e especialistas em gastronomia. Curiosidades e dicas valiosas de como usar ingredientes típicos dessas culinárias.

Mais histórias 

A série pode ser vista no YouTube (https://bit.ly/CasaFiatYouTube) e nas redes sociais da Casa Fiat de Cultura. Nela, a gastronomia, importante elemento de tradição, que contribui para formação de identidade e ajuda a contar histórias. O professor de Food Design e Communications do Istituto Europeo di Design (IED), Alexandre Carvalho, abre a série “Cultura na Cozinha”, com o azeite, “O” ingrediente da culinária mediterrânea. A chef Silvana Watel, do bistrô Au Bon Vivant, “viaja na manteiga” com a autoridade de “Dama da Culinária Francesa”, em pratos doces e salgados.

Mais sabores

Ainda ao abordar a cozinha francesa, o chef Rodrigo Fonseca, do Taste-vin, destaca as ervas finas, “les fines herbs”, que conferem sabor e aromas especiais a alimentos crus ou cozidos. Para representar a culinária italiana, Massimo Battaglini, da Osteria Mattiazzi, frisa a importância do tomate em diversas receitas que são “a cara” da Itália, como o molho de massas tradicionais, as sopas e as saladas. Ah! O Senhor Tomate tem origem na América Central e percorreu longo caminho até aportar em terras italianas.