Paulo Navarro | quinta-feira, 10 de dezembro de 2020

Trio atrativo: Carol Vasconcelos, secretária de Turismo de Ipojuca; Otaviano Maroja, proprietário do Hotel Solar e Vivá Resorts; e a gerente executiva dos Hotéis Armação e Kembali

Foto: Edy Fernandes


Trio construtivo: Gustavo Penna, Fernando Alves e Maria Luiza Oliveira

Foto: Edy Fernandes


Trio cristalino: Tadeu Mucelli, Márcia Guimarães e Alexandre Milagres, no MM Gerdau

Foto: Cristiane Mattos

Cristais temporais

Mesmo com toda a Covid-19, com todo confinamento, com tanta crise, com tanto 2020, o MM Gerdau – Museu das Minas e do Metal, na Praça da Liberdade, retoma as atividades presenciais com a exposição “CoMciência – Cristais do Tempo”. O MM foi “invadido” por arte, ciência e tecnologia a bordo do tema “Cristais do tempo: emergências nas fissuras do presente”.

Cristais atemporais

Trata-se da “definição de um futuro a partir de um presente demasiadamente complexo nos levando a refletir que é necessário pensar um tempo mais propositivo, reconstruindo nossa proposta de humanidade e coletividade, sendo a arte e a tecnologia meios legítimos para isso”.

Cristais memoriais

Os curadores Tadeus Mucelli e Alexandre Milagres selecionaram nove obras que refletem este momento, “modificam nossa relação com o tempo presente, mudam nossa percepção com os outros, com o planeta, com o visível e o invisível, e, sobretudo, com as memórias que construímos e compartilhamos”.

Cristais imemoriais

A exposição teve 269 inscritos dos seis continentes do mundo, sendo 20% de inscrições estrangeiras e 75% de propostas inéditas. “Abrimos uma chamada artística corajosa, tanto no recorte curatorial e na proposta dos trabalhos, quanto na relação com o momento que o mundo vive pela pandemia da Covid-19”, declarou Alexandre Milagres.

Cristais universais

Entre os trabalhos selecionados, três ocuparão presencialmente o espaço: “Reflexion: In Sync / Out of Sync”, da colombiana Claudia Robles-Angel; “Vegetal Reality Shelter (VRS)”, do brasileiro Guto Nóbrega; e “Emancipacíon Microbiana”, da mexicana Maro Pebo. Já no espaço virtual wwwprogramacomciencia.org.br, o público poderá visitar mais seis obras que integram a exposição, sendo três delas de artistas brasileiros.


Curtas & Finas

* A Savassi ainda é a Savassi. Para quem quer fazer parte desse charmoso bairro, uma ótima notícia. O Grupo EPO vai lançar mais um empreendimento de alto padrão, o Residencial Rio Branco. Serão 17 andares, na Rua Tomé de Souza. Projeto do Gustavo Penna Arquiteto & Associados, que também projetou a decoração das áreas comuns, em parceria com o escritório Tinarq Arquitetura. A entrega do Rio Branco está prevista para início de 2024. Mais informações: www.riobrancoresidencial.com.br.

* Até 24 de janeiro de 2021, a Galeria do Centro Cultural Minas Tênis Clube (CCMTC) abriga a exposição “Amilcar de Castro – Matéria e luz”, com patrocínio da Unimed-BH. A mostra reúne cerca de 50 obras do artista mineiro e marca as comemorações pelos seus 100 anos de nascimento (8.6.1920-21.11.2002). Por causa da pandemia, a capacidade de ocupação da Galeria do CCMTC foi reduzida a 30 pessoas simultaneamente. Assim, uma versão virtual da exposição foi produzida para que todos tenham a oportunidade de apreciar as obras do mestre.

Facebook: /mtccultura Instagram: @mtccultura.

* A MRV tem a inovação como o “cimento” para sonhos que transformam o mundo. Assim, acaba de inaugurar seu primeiro Centro de Pesquisa e Desenvolvimento, para desenvolver e testar tecnologias, processos, métodos e materiais. Foi idealizado em parceria com o Centro de Inovação e Tecnologia CIT Senai Fiemg. O espaço concentra o desenvolvimento e a experimentação, com realizações de testes em ambientes relevantes, muito semelhantes aos encontrados nos canteiros de obras.