Paulo Navarro | quinta, 26 de agosto de 2021

Jogada aérea

Da CNN Brasil para quem pode voar ou quer voar mais. Imagine como gastaríamos muito mais se nossos carros tivessem dois motores! Seriam duas “mais duas famílias” para alimentar com combustível, fora a manutenção duplicada. Isso é normal nos aviões a jato de passageiros que, na maioria, são impulsionados por dois propulsores, os chamados turbofans.

Jogada maestral

Mas há exceções, ou pelo menos uma por enquanto. Sucesso de vendas na aviação executiva, o Cirrus SF50 Vision, fabricado nos Estados Unidos, conquistas clientes e fãs no mundo justamente por sua concepção monojato. Ou seja, ele voa com o impulso de um único motor turbofan. Adoramos a notícia! Vamos para a Bahia?

Juízo impossível

Hoje, um clássico das redes sociais, antes mesmo das mesmas redes existirem. Humor e consolo para os antigos jovens, quando não existia o nojento e excludente politicamente correto: “Querem que a gente tenha juízo? Como isso é possível? Desde pequenos, vimos Tarzan andando nu. A Cinderela chegava à meia-noite. Pinóquio mentia pra caramba. Aladim era ladrão. Batman dirigia a 320km/h”.

Juízo improvável

“A Branca de Neve morava com sete homens e o Popeye fumava uma ervinha de espinafre e duplo sentido, muito estranha e ficava loucão! Cascão não tomava banho. Cebolinha falava tudo errado. Mônica baixava o pau nos meninos. Magali era gulosa. Mickey nunca casou com Minnie. O Pato Donald também não casou com Margarida, não trabalhava e os três sobrinhos sempre faltavam às aulas”.

Juízo invisível

“Tio Patinhas era pão duro. Gastão vivia da sorte. Dick Vigarista vivia de falcatruas. Esses foram os exemplos que tivemos e querem que tenhamos juízo!”. Agora que Aladim virou Ali Babá, e Pinóquio foi até presidente, falta pouco para colocarem roupa no Tarzan, prenderem o Popeye, mandarem Cinderela, Branca de Neve, Margarida e Minnie para o convento e dividirem a fortuna de Tio patinhas com Dick Vigarista.

Matéria do Tempo

Os trabalhos de Duda Moraes são a mais nova atração da Celma Albuquerque Galeria de Arte.  A artista carioca, que reside há quatro anos em Bordeaux, na França, apresenta a exposição “Somos feitos de tempo”, até 31 de agosto Pintura em telas de grande formato, com cores vivas e fundo fluorescente é a linguagem de Duda Moraes para expressar as referências de seu recomeço fora do Brasil. 

Curtas & Finas

*Mais Duda Moraes. Vegetação luxuosa, tons vibrantes e perfumes exaltantes “entregam” suas origens tropicais.

Duda talvez homenageia Matisse, com seus potes de flores, muito presentes na primavera francesa.

As pinturas propõem ao espectador entrar nesse universo caloroso, alegre e cheio de possibilidades.

 “O tempo é um ser em meio a uma metamorfose, com pressa para mudar, a fim de sobreviver”, indica Duda Moraes.

Após Bordeaux, Duda expõe pela segunda vez na Celma Albuquerque, agora, com esta individual. Até dia 31.

*Joana Moreira Coelho, depois de ter sido secretária de turismo do Circuito das Águas, agora é a secretaria de Turismo e Cultura de Santa Luzia.

Santa Luzia sim. Aquela cidade histórica que andava meio abandonada, tem um belo horizonte.

Santa Luzia sediará o Museu da Cozinha Mineira, no Casarão da Fazenda Boa Esperança.

Projeto articulado em parceria da Prefeitura com o Governo do Estado, via Secretaria de Estado de Cultura e Turismo.

E mais: Superintendência de Museus, Bibliotecas, Arquivos e Equipamentos Públicos e IEPHA-MG. Inauguração prevista para julho de 2022.

*Dia 11 de setembro tem programa melhor que relembrar os 20 anos do 11 de Setembro, em Nova York.

Dia 11 de setembro, vamos conhecer a nova planta fabril da Cervejaria Capim Branco, seus produtos e lançamentos.

Primeiro, um cafezinho no escritório, em BH; depois, a fábrica, em Capim Branco, a 50km de BH.

Quem faz e acontece passa por aqui

No Outland, os anfitriões Idel Yarochewsky, Massimo Battaglini e Eduardo Faleiro. Foto: Arquivo Pessoal

Lilian Speziali e Joelma fraga  fazendo, acontecendo e decolando no Aeroporto Internacional de BH. Foto: Arquivo Pessoal