Paulo Navarro | quarta-feira, 5 de setembro de 2018

Ecos do desfile Barbara Bela Garden Party, na CasaCor Minas, com a super Margaret Marinho

Foto: Barbara Dutra


O silêncio dos inocentes 

Quem são os culpados pelo incêndio criminoso (não com fósforos, mas, muito pior, por negligência) que destruiu o Museu Nacional da Quinta da Boa Vista, impunemente? Os suspeitos de sempre: Temer, D. Marisa Letícia, Judas, Hitler e o mordomo, claro. Na verdade, todos somos culpados pelos descalabros, escândalos, descasos e crimes que assolam o Brasil; menos o único grande estadista que tivemos.

O silêncio dos culpados 

Falamos do ridicularizado – injustamente – D. João VI o único rei europeu que enganou Napoleão Bonaparte, manteve o Brasil como colônia, mas deixou seu filho e, melhor, seu neto, D. Pedro II, outro grande estadista, patriota que, por isso, foi escorraçado e morreu exilado.

O silêncio dos suspeitos 

Dom João VI, justamente, foi quem construiu o Museu Nacional, entre outras maravilhas como o Jardim Botânico e o Banco do Brasil, outra vítima de bandidos ultimamente. O Brasil, ao contrário de grandes nações, é um desperdício, ordem e progresso aqui, só na bandeira desbotada.

O grito dos suspeitos 

Será que na França ou nos EUA uma tragédia deste porte acometeria o Louvre ou o MoMA? Sim, mas não nessas proporções e não por abandono eleitoreiro. Tragédias são tragédias porque podem acontecer e acontecem; apenas, no Brasil, são anunciadas. Principalmente os desastres com o patrimônio histórico e com o meio ambiente, no caso a Amazônia, diariamente.

O urro dos culpados 

Há muito, espaços culturais gritam por socorro. “Dinheiro de cachaça” evitaria várias tragédias como a de domingo. Mas para onde vão as verbas eleitoreiras, os investimentos do BNDES, os patrocínios da ex Petrobras e principalmente que abominações “culturais” são agraciadas pelas leis de incentivo à cultura? Fácil, para obras inúteis, ineficientes e superfaturadas; estádios, arenas, e museus virtuais da moda, para turistas incautos à beira mar, ou prédios históricos com acervos digitais.


Curtas & Finas

* O pré-lançamento do VegExperience 2018, dia 11, às 19h, no restaurante Vila do Chef, Palmeiras, para degustação dos principais pratos do maior festival de comida vegetariana e vegana de BH.

* O VegExperience acontece do dia 4 de outubro a 4 de novembro e é idealizado pelo blog Viverdequê.

* LePub é o novo ponto no Buritis para correligionários da boa comida e diversão. Cervejas artesanais da Antuérpia e sobremesas da Rellicário Brigaderia são exclusividades.

A fusão da boa gastronomia com a descontração define bem o conceito do LePub – Gastrobar & Parrilla, que também abre espaço para atividades culturais. Ao comando, a chef Letícia Croce.

* Ainda sobre o Baby Beef Steakhouse, que chega a Belo Horizonte a partir do dia 12, na Raja Gabaglia: foi erguido num terreno de 6.000 m², com 2.100 m² de área construída.

É a quarta casa do grupo, contando o tradicional Baby Beef na Cidade Nova, há 15 anos, unidades no Rio de Janeiro e São Paulo. Até 2019: em Juiz de Fora, Brasília e Goiânia.

* A CasaCor convida para divulgação do anuário 2018 e exibição do vídeo “Falando com as paredes”, de Paulo Raic. Hoje, às 21h.