Paulo Navarro | quarta-feira, 4 de setembro de 2019

No coquetel de abertura da Casacor 2019, a superintendente nacional da Casacor, Lívia Pedreira, ao lado do diretor de conteúdo e relacionamento da mostra em Minas, Eduardo Faleiro

Foto: Edy Fernandes

Juliana Grillo, diretora comercial da Casacor Minas, emoldurada por Paula Harraca, Fernanda e Homero Storino, da diretoria da ArcelorMittal, no evento que aconteceu nos jardins do Palácio das Mangabeiras

Foto: Edy Fernandes

Castelo do Whisky 

Em agosto, famosa destilaria escocesa começou a vender um uísque de 72 anos no valor de US$ 60 mil. Após investimento milionário, The Macallan produziu sua bebida mais antiga, em edição limitada a 600 garrafas, com um visual digno de escultura. Sua caixa é outro tesouro, em carpintaria. Produtos de altíssima qualidade têm preços diretamente proporcionais à sua exclusividade e raridade.

Recorde do Whisky 

Características de fabricação também entram no valor. Mas, de quando em vez, aparecem cifras estratosféricas. A mais recente: uma garrafa do mesmo uísque Macallan (1926), arrematada num leilão organizado em Londres pela Christie’s por US$ 1,5 milhão (R$ 5,8 milhões).

Magia do Whisky 

Como? Primeiro, a tradição da marca, desde 1824. Além, claro, da raridade e idade do líquido. Nesse caso, foi produzido em 1926 e envelheceu no barril durante 60 anos, prazo em que grande parte dele se perde na evaporação. Tanto tempo de estoque também entram na conta final.

Arte do Whisky 

No caso da garrafa leiloada, outro elemento do recorde: era a única cujo rótulo foi pintado por Michael Dillon, artista irlandês. Outras, do mesmo barril, haviam sido vendidas por US$ 1 milhão. Para terminar, The Macallan, de 52 anos. Apenas 250 garrafas numeradas, disputadas por apreciadores e investidores. Imagine uma bebida que começou a ser preparada em 1967. Garrafas vendidas por US$ 53,5 mil (R$ 202 mil) a unidade. Ou seja, é como se cada ano de envelhecimento equivalesse a US$ 1 mil.

Curtas & Finas

* A Rex Bibendi comemora o centésimo “flight” de vinhos ininterrupto.

A empresa realiza semanalmente o “flight” – degustação de três taças de 125 ml de diferentes vinhos selecionados a partir de um tema.

* Monólogo sobre a vida e a obra da escultora francesa Camille Claudel. Num hospício, ela desenha compulsivamente, relembrando sua tumultuada relação de amor e arte com o grande escultor Auguste Rodin.

Ficou internada 30 anos, até morrer, aos 79 anos de idade. Dias 6, 7 e 8, na Sala Solo do Galpão Cine Horto.

* Ao completar 120 anos, a Santa Casa BH inaugurou, ontem, na avenida dos Andradas, sua faculdade.

Cursos de graduação, além de incorporar os já existentes cursos de pós-graduação que formam especialistas, mestres, doutores e pós-doutores.

* O Minas Shopping está recebendo doações de roupas, sapatos e cobertores em bom estado.

Todas as doações serão destinadas à Associação dos Moradores pelo Desenvolvimento do Bairro Céu Azul (Umca).