Paulo Navarro | quarta-feira, 26 de fevereiro de 2020

Ecos do bloco pré-carnavalesco Zen Noção, que agitou o Krug Biergarten, com o casal Marcia Hermeto e Betinho Linhares

Foto: Vuru


Entre pierrôs e colombinas, no mesmo evento no Jardim Canadá, as chiques e elegantes Marilu Moretzsohn, Iracema Resende e Thalita Rodrigues

Foto: Eugênio Gurgel


Outros Carnavais 

Aqui, do alto do nosso merecido descanso e modesto ócio criativo, em plena Quarta de Cinzas, esperamos que vocês tenham tido o Carnaval que mereceram e desejaram. Há muito pouco tempo, coisa de sete, oito anos, Belo Horizonte e a gigante São Paulo eram túmulos do samba, do carnaval. Com a crise econômica e os foliões locais que não viajavam, o carnaval de blocos ressuscitou no Brasil inteiro.

Velhos Carnavais 

Hoje estão em todas as grandes cidades. Cidades como Belo Horizonte e a mesma São Paulo que ficavam vazias, desertas; paraísos para quem gosta de tédio ou de paz. A animação adormecida ou herdada do interior veio e ficou. Uns reclamam da sujeira, do barulho, da bagunça.

Bons Carnavais 

Mas parece que a maioria aprova: povo, comerciantes, principalmente bares e restaurantes, supermercados e açougues. Afinal é a festa da carne, viva e no churrasco. Outro detalhe que não passa despercebido é a duração da festa. Há pouco tempo também, o Brasil inteiro ria à toa.

Infinitos Carnavais 

À toa não, ria com inveja, maldade e preconceito, da Bahia e do Nordeste. Por que lá, “ninguém trabalha e o Carnaval dura o ano inteiro”. A festança começava bem antes e acabava bem depois. Aqui, não temos muita folia depois desta Quarta de Cinzas. Em compensação, o antes é bem antes. O carnaval começou dia 8. E nem as chuvas trágicas molharam o chope, o confete e a alegria. Parabéns e vamos trabalhar. Mais ou menos! 2020, é o ano dos feriados e feriadões, no País dos feriadões e feriados.


Curtas & Finas

* Lindo exemplo de outros carnavais, saúde e disposição para a vida, vem da nossa colega de Pilates e de praia, temporadas em Ipanema, Rio, Ana Amélia Faria.

A matriarca do clã Faria tem 92 anos, seis filhos, 21 netos e 40 bisnetos, sendo que o mais novo acaba de nascer.

* Por falar em envelhecer, bem ou mal, notícia, da semana passada, válida por muito tempo, pois é tendência, há mais tempo ainda.

Do colega Ancelmo Gois, dia 18, em “O Globo”: Um país que envelhece. Número de idosos cresce em todas as 27 capitais brasileiras, e o de crianças cai.

Consultoria IDados. De 2012 a 2019, o número de pessoas com 65 anos ou mais cresceu em todas as capitais brasileiras.

Na média, aumento de 41%. Mas houve casos em que o total de idosos saltou 89% (Palmas), 86% (Macapá) e 70% (Boa Vista).

Já o número de crianças de até cinco anos caiu em 18 capitais, como Rio (-15%), Salvador (-18%) e Maceió (-35%).

Em só nove capitais houve aumento: São Paulo (0,1%), Belo Horizonte (5%) e São Luís (9%).