Paulo Navarro | quarta-feira, 24 de junho de 2020

No clima de "No Tempo das Diligências", a sessão especial do Cinear, drive-in, no Alphaville

Foto: Pedro Vilela

“De volta para o futuro”, com os carros de ontem, no Alphaville

Foto: Pedro Vilela

Tempos felizes

Como já havíamos registrado, a Cineart lançou, domingo, dia 14, o Cinear Drive-in, oportunidade para o público de assistir a filmes na telona, sem sair do próprio carro. Uma forma segura, cumprindo o distanciamento social. A céu aberto, o Cinear Drive-in funciona em dois locais. Um no Alphaville e o outro no estacionamento da casa de eventos Mix Garden, ambos em Nova Lima.

“Em Algum lugar do Passado” e no túnel do tempo do Alphaville

Foto: Pedro Vilela

Tempos românticos

A inauguração do Cinear Drive-in no Mix Garden, Jardim Canadá, teve o filme “Coringa”. Uma das sessões foi exclusiva para colecionadores de carros antigos: “Retro Night”, só para placas pretas. O que vimos foi uma dupla volta aos bons tempos. A primeira, o próprio drive-in, que era apenas cena de cinema. A segunda, os carros que víamos, também, apenas em filmes de época.

Nem velozes, nem furiosos, mas eternos, ontem, hoje e amanhã, na “Retro Night” do Alphaville

Foto: Pedro Vilela


Revolução urbana

Do advogado Bernardo Freitas Graciano, presidente da Comissão de Regularização Fundiária do Ibradim – Instituto Brasileiro de Direito Imobiliário: “Se calcularmos que temos 30 milhões de imóveis irregulares no país e cada um tenha um valor simbólico mínimo de 50 mil reais (imóveis de baixo, médio e alto valor agregado), a Regularização Fundiária Urbana no Brasil (Reurb) pode então trazer ao mercado brasileiro uma “deliciosa injeção”.

Revolução trilionária

Injeção de um trilhão e quinhentos bilhões de reais para fomento do crédito e garantias para toda uma população. Continuando o cálculo, se em cada um destes 30 milhões de imóveis habitam quatro pessoas, a Reurb pode melhorar a vida e levar prosperidade para mais de 120 milhões de pessoas. Novidades já estão chegando”.


Lendo a cidade

Belo Horizonte ganhou projeto que vai registrar a relação de seus moradores com a leitura e as bibliotecas. Aberta à população, a iniciativa reúne depoimentos de belo-horizontinos do setor literário. “Queremos contar as histórias de leitores, leituras e bibliotecas. Ler e escrever são imprescindíveis para o desenvolvimento humano”, afirma Cleide Fernandes, bibliotecária e coordenadora do projeto viabilizado por meio da Lei Municipal de Incentivo à Cultura.

Lendas da cidade

Os depoimentos virarão livro, em outubro, com distribuição gratuita e nas bibliotecas da cidade. Os relatos integrarão também uma exposição itinerante. Para colher os depoimentos, a campanha “Quais são suas histórias e trajetórias de leitura em Belo Horizonte?”, nas redes sociais do projeto (@historiaafetivabh). Relatos para o e-mail historiaafetivabh@gmail.com, até 8 de agosto. Os selecionados, integrarão um dos capítulos do livro.


Curtas & Finas

* Dia 20, a Cruz Vermelha Brasileira – Filial Minas Gerais realizou operação humanitária emergencial contra a Covid-19.

Entregou, em Paraopeba, 4.350 kg de cestas básicas, álcool, água sanitária e kits de higiene para 150 famílias atingidas pela pandemia.

“Mais uma ação da CVB-MG para ajudar os mais necessitados. Muito gratos por realizar mais este trabalho em meio à pandemia”, afirmou Bernardo Eliazar, diretor de projetos e captações da Cruz Vermelha-MG.

A Cruz Vermelha é o maior e mais antigo movimento humanitário do mundo, presente em mais de 190 países há mais de 150 anos.

* Do @possoinvestir recebemos esta boa nova do “novo normal”, sobre a redução histórica da taxa de juros básica, anunciada recentemente pelo Banco Central.

O quarto corte consecutivo da taxa neste ano estimula os investimentos em renda variável. A Selic de 2,25% ao ano é o menor patamar já registrado no Brasil.

Para investir, a hora é agora. E a dica: através do @possoinvestir, um canal de educação financeira online, iniciantes aprendem a investir com facilidade e orientação pedagógica.