Paulo Navarro | quarta-feira, 22 de julho de 2020


Contando até 2021, Alberto Radespiel e Rosiane Faleiro 

Foto: Edy Fernandes


Pulando e correndo para 2022, Flávio Monteiro 

Foto: Divulgação


A Grande Família Super Nosso, Rafaela, Euler e Rodolfo Nejm

Foto: Edy Fernandes


Super vinhos

Como adiantamos anteontem, começou a 11ª Feira de Vinhos Super Nosso. Várias novidades e uma extensa programação cultural, além das tradicionais atrações da feira, como os cursos, conversa com produtores e harmonizações. Neste ano toda programação é “0800” e vai até 9 de agosto. Como nos interessamos, e muito, pelo assunto, com muita honra aceitamos o convite para a participar de duas lives.  

Vinhos amigos

As redes sociais mostram como o vinho se tornou, no isolamento, “nosso melhor amigo, nosso cachorro engarrafado”, como diria o poeta Vinicius de Moraes, dissertando sobre seu inseparável uísque. As vendas online de vinhos no Brasil cresceram mais de 30% durante a quarentena e houve um aumento de 60% no número de novas lojas virtuais, segundo a plataforma Nuvemshop.

Amigos do vinho

Nas lives do Super Nosso, o titular da coluna será o apresentador e mediador. Amanhã, com Oswaldo Amado, eleito seis vezes melhor enólogo de Portugal. São 32 anos, entre os profissionais mais reconhecidos de Portugal. É dono de mais de 1.100 prêmios e inúmeras distinções profissionais. Atualmente, é diretor de enologia no Grupo Global Wines, produtor de vinhos como Casa de Santar, Cabriz ou Quinta do Encontro.

Mestres do vinho

E no dia 1º de agosto, a live será com José Oliveira, diretor geral da Vinícola portuguesa Ponte da Barca, paraíso do vinho verde. Na vinícola, é também o responsável pela enologia, as áreas comercial e de produção. Responde pela produção de vinhos, espumantes e aguardentes de notoriedade internacional. Como reflexo, muito prêmios, em vários concursos pelo mundo.


A bola da vez

Não é uma surpresa, muito menos impressionante. Não é uma novidade nem a Descoberta da América. Mesmo assim, vale repetir o “óbvio ululante” porque, como rezava a obsessão de Nelson Rodrigues, só os profetas enxergam o óbvio. Imóveis são sempre o melhor investimento. E isso com o aval de especialistas, em recente investida no “Estadão”. Taxas de juros mais baixas e financiamentos atrativos movimentam o setor imobiliário, que, claro, óbvio, espera “A” retomada no segundo semestre.

A bola da hora

Por isso mesmo, ainda no fim do primeiro semestre, junho, avistou-se no horizonte muito otimismo no mercado imobiliário. Além dos juros baixos e sedutor financiamento, prestações abundantes. “Álvaro Coelho da Fonseca, presidente da Coelho da Fonseca, ressalta: ‘Seja alta ou baixa renda, praia ou campo, primeiro ou segundo apartamento, há um interesse muito grande em investir em imóvel. Dadas as boas condições mercadológicas, este é o momento’”.

A bola da pandemia

A aposta aconteceu na live “De Olho no Mercado Imobiliário na Pandemia”, realizada pelo “ “Estadão Imóveis”, dia 9. “Antonio Setin, presidente da Setin Incorporadora, destacou: ‘Na prática, estamos vivendo uma fase de juros quase negativos, considerando inflação e imposto de renda. Por isso, o mercado imobiliário é a bola da vez entre os investimentos e continuará sendo no pós-pandemia’”.

Curtas & Finas

* Ainda sobre o boom no mercado imobiliário, um fato menos concreto, mas muito mais interessante: confinadas, as pessoas, naturalmente, repensaram seus espaços e desejam colocar mais açúcar no lar doce lar.  

“A casa virou a solução. Para se defender, a saída foi passar mais tempo em casa. Daí a necessidade de dar um ‘upgrade’ no jeito de morar”, opinou Setin.

O inimigo deste cenário é o de sempre, a burocracia para a construção. “Muita carga tributária por trás de produtos. É preciso também mais fluidez e velocidade nos licenciamentos. Hoje, até protocolar um projeto é extremamente complicado.”

Fala o arquiteto e urbanista Julio Neves: “O novo plano diretor, para o próximo ano, deve levar em conta esse crescimento e trazer propostas de mudança inteligentes. Acredito que o momento serviu para repensar muita coisa. Isso vale para as propostas para o urbanismo”.

“É preciso levar em conta a disponibilização dos espaços, o planejamento, o zoneamento e os deslocamentos da população”.

* Duas obras de arte exclusivas e em tiragem limitada estão disponíveis para colecionadores e apreciadores da arte contemporânea, desde o dia 17, na Inhotim Loja Design.

A escultura “X Vermelho”, de Laura Vinci, e a litogravura “Belo Horizonte”, de Marcius Galan, compõem o 2º Múltiplos Inhotim. As duas edições são frutos de uma parceria entre a Inhotim Loja Design e a Carbono Galeria.