Paulo Navarro | quarta, 27 de julho de 2022

O presidente da Abrajet-MG, José Aparecido Ribeiro; o empresário, Paulo Emílio Gaissler; a gerente geral do Caesar Business Belvedere, Francely Lopes, o CEO da BH Airport, Kleber Meira e o empresário Reginaldo Solon, em noite de homenagem da mesma Abrajet ao mesmo Kleber Meira, no Udon. Foto: Edy Fernandes

No céu com o CEO

Kleber Meira, CEO da BH Airport foi homenageado pela Associação Brasileira de Jornalistas de Turismo - Abrajet-MG, no Restaurante Udon, Hotel Caesar Bussiness Belvedere. Os anfitriões destacaram a contribuição do aeroporto a Minas, após a privatização em 2012.

No céu com prêmios

Depois de reformado pela BH Airport, o terminal bate recordes de movimento; conquista prêmios nacionais e internacionais de pontualidade, conforto, práticas ambientais e sociais. Mais recentemente, o prêmio de inovação. Foi o que mais criou atrativos impactantes na América Latina.

No céu com orgulho

“O Aeroporto Internacional de Belo Horizonte recuperou a autoestima, perdida por 40 anos, quando o ‘aeroporto de Confins’, vivia crise existencial. Hoje, é comparável aos melhores do mundo, o melhor aeroporto do Brasil”, disse o presidente da Abrajet-MG, o jornalista José Aparecido Ribeiro.

No céu com diamantes

Kleber Meira lembrou que o aeroporto, sob seu comando, é uma cidade para 50 mil pessoas por dia: “estamos atentos à qualidade, à baixa emissão de carbono e aos procedimentos ambientais; conforto e espaço agradável. A energia utilizada caminha para ser 100% renovável e com a internet 5G, ‘check-in’ e desembarque serão automatizados”.

Na mesma ocasião, Maria Elvira Salles Ferreira e Mariângela Lima. Foto: Edy Fernandes

Felice Rosso

Por que Felício Rocho e não Felice Rosso, tão mais bonito e original? Solidariedade e vontade de ajudar o próximo moveram o imigrante italiano, Nicola Felice Rosso, em sua maior obra: o Hospital Felício Rocho que, dia 21 de junho comemorou 70 anos, priorizando e cuidando das pessoas.

Felício Vermelho

O nobre italiano não viveu para ver seu feito, mas em sua honra e memória, o hospital segue criando histórias de superação. A Instituição comemorou - com o Dr. Pedro de Oliveira Neves, diretor-presidente da Fundação Nicola Felice Rosso - a longevidade da obra e seus valorosos princípios.

Ciao Bello

A 9ª edição do 8½ Festa do Cinema Italiano traz, até 3 de agosto,  ao Una Cine Belas Artes, dez títulos em pré-estreia nacional que revelam a força do cinema italiano, com filmes dos principais festivais internacionais e alguns dos maiores sucessos de bilheteria na Itália.

Bella Ciao

A abertura terá a première de "Ennio, o Maestro", de Giuseppe Tornatore, longa que homenageia o mito Ennio Morricone, compositor, arranjador e maestro italiano; autor de trilhas sonoras para cinema e televisão, incluindo todos os filmes do diretor Sergio Leone, além de obras clássicas.

Levando peso

De hoje ao dia 29, esporte, turismo e cultura, no 1º Simpósio Internacional de Levantamento de Pesos, via projeto “BH em Peso”. O simpósio vai ter a presença do Fernando Reis, multicampeão e recordista dos jogos Pan Americanos; Maxim Agapitov, presidente da Federação Russa de Levantamento de Pesos e Rafael Almeida, doutor em Ciências do Esporte, pela UFMG.

Levando cultura

Idealizado pelo atleta e professor Rafael Almeida, o evento quer capacitar em uma das modalidades esportivas mais antigas do mundo, presente desde a primeira edição dos Jogos Olímpicos. Também na programação, atividades culturais, com a Coaduna Cia de Dança e mais.

Levando jeito

Apresentações do músico Gustavo Andrade, do pianista Leo Laporte, da cantora e bailarina, Dani Guimarães. Sem esquecer o lado  gastronômico, com o chef Romeu Neves. Aulas no auditório da Escola de Educação Física, Fisioterapia e Terapia Ocupacional (EEFFTO) da UFMG e no Mineirão.

Curtas & Finas

*Até 1º de agosto, a exposição “Adriana Varejão: Suturas, fissuras, ruínas”, na Pinacoteca de São Paulo.

É a panorâmica mais abrangente já realizada sobre o trabalho da artista, reunindo, pela primeira vez, um conjunto de mais de 60 obras, de 1985 até 2022.

*Comemorar o centenário da Semana de Arte Moderna de 1922, lançar luzes e reflexos em seu legado nas artes plásticas do Brasil.

Refletir, a partir da atualidade, sobre um processo de rever e reparar este contexto.

É o objetivo de “Brasilidade Pós-Modernismo”, mostra que já passou por três capitais e fecha sua temporada no Centro Cultural Banco do Brasil Belo Horizonte. Até 19 de setembro.

Com curadoria de Tereza de Arruda, a mostra aborda as diversas características da arte contemporânea brasileira.

51 artistas, como Adriana Varejão, Anna Bella Geiger, Arnaldo Antunes, Cildo Meireles, Daniel Lie, Ernesto Neto, Ge Viana, Jaider Esbell, Rosana Paulino e Tunga.

*A Revista da Academia Mineira de Letras, fundada em 1922 quando o presidente da AML era o poeta Mário de Lima, celebra cem anos de história.

Para comemorar, a AML lançou o nº 81 da Revista, dia 23, na Biblioteca Pública Municipal de Ouro Preto.

A ocasião também homenageou os 150 anos de nascimento de Alphonsus de Guimaraens, patrono da instituição.