Paulo Navarro | quarta, 19 de janeiro de 2022

No capítulo Dolce Vita e Arraial D' Ajuda, o titular da coluna, com a anfitriã Érika Sanches, no Maitei  Hotel Boutique. Foto: Arquivo Pessoal

Lições forçadas

Se a pandemia trouxe algo de positivo foi a educação higiênica para muita gente e suas atividades profissionais. Algumas, felizmente, vieram para ficar. As máscaras podem cair, mas o álcool em gel, como deveria ser, mesmo antes da pandemia, será para sempre obrigatório. Não só em bares e restaurantes, como também entre os ambulantes. Na praia então, nunca se via higienização de mãos, etc.

Lições indecentes

Vale lembrar que o Brasil tem enorme déficit sanitário e, consequentemente, insalubridade nas classes sociais mais baixas. Segundo o BRK Ambiental, quase 35 milhões de pessoas não têm acesso à água tratada, 100 milhões vivem sem coleta de esgotos (47,6% da população) e apenas 46% dos esgotos são tratados. Mais dificuldade na prevenção de doenças e altos índices de poluição. O Coronavírus mudou o hábito destes menos favorecidos? Parte deles é mão de obra nos centros urbanos.

Lições obrigatórias

Aconteceu em uma festa de casamento no Jardim Canadá, Nova Lima. Os convidados foram “intimados” a fazer teste do Coronavírus. A opção era dirigir-se a um laboratório ou fazê-lo na recepção da cerimônia. Cumprido, antecipadamente, o protocolo, convidado e esposa dirigiram-se à recepção certos de ali encontrarem o carimbo-passaporte.

Lições absurdas

Já na porta, o constrangimento: o convidado estava “positivado”! Notícia desagradável à parte, até outra “saia justa”, submeter-se a um novo teste e esperar a confirmação do laudo. Laudo “negativado” com pedido de desculpas do laboratorista presente que justificou erro do laboratório.  Mais uma história para aumentar o rol de descontentes e a guerra de versões.

Cigarra de verão

Maria Caruso, bailarina e coreógrafa americana, estará em Belo Horizonte, dia 29, às 20h, com um belo espetáculo, no Teatro Sesiminas. O espetáculo “Metamorphosis”, que esteve em cartaz na Broadway, Nova York, até dezembro, por sete meses, está em turnê mundial. Já passou por Portugal, Espanha, Inglaterra, Itália e agora, Brasil.

Samsa Flexor

O Museu de Arte Moderna de São Paulo recebe exposição de pintura “Samson Flexor: Além do Moderno” do dia 22 de janeiro ao 26 de junho. Linguagem abstracionista e temas que transitam entre o etéreo e o corporal. O pintor é reconhecido como pioneiro da tendência abstrata no Brasil.

Gregor Flexor

Segundo a curadora Kiki Mazzucchelli, "é a primeira exposição que tem como foco o desenvolvimento da obra de Flexor a partir de 1957, quando passa a rejeitar as formas estáticas em pinturas onde gradualmente predominam o gesto, a opacidade e a transparência”.

Silvane Moraes e Bruna Gomide, mãe e filha, degustando qualidade de vida, também em Ajuda. Foto: Arquivo Pessoal

Curtas & Finas

*As crianças em recesso escolar podem aproveitar para se divertir aprendendo, no projeto Trem de Férias, do SESI Museu de Artes e Ofícios (MAO), entre os dias 25 e 29.

A programação será aberta com mais uma edição especial do Mediador Mirim das 9h às 11h30, ação que estimula a meninada a frequentar museus e a se tornar guardiã do espaço.

*Até 27 de fevereiro, o Palácio das Artes, recebe a exposição Magister Raffaello, promovida pelo Consulado Geral da Itália em Belo Horizonte.

E também pela Fundação Clóvis Salgado e pela Magister Art em celebração ao 500° aniversário de morte de Raffaello Sanzio, mestre do Renascimento italiano. 

Através de recursos tecnológicos e conteúdo multimídia, a exposição conduz o visitante em viagem digital ao Renascimento, vida e obra do pintor. 

Uma nova experiência de observação e conhecimento sobre as obras do artista, descobrindo detalhes e técnicas.

*O Pátio Savassi preparou várias atividades para as crianças saírem de casa. 

Como o “Mundo Pinguim” e o espaço temático do filme "Homem-Aranha: sem volta para casa", além de peças teatrais e os últimos lançamentos do cinema.

Os adultos também têm encontro marcado com o teatro durante a Campanha de Popularização, que vai até 27 de fevereiro.

*A MRV, do grupo MRV&CO, destinou 100 mil reais, em donativos, como auxílio para famílias de 12 municípios da região metropolitana de BH, atingidas pelas chuvas.

O valor foi revertido na compra de mais de 1500 cestas de materiais de higiene pessoal, limpeza e em alimentos.

*Ajudar Minas! Com esse objetivo, a Patrimar criou Campanha de Arrecadação de Doações para ajudar as famílias que estão sofrendo com as chuvas.

Os pontos de coleta dos materiais estão na região de Belo Horizonte em áreas de venda dos empreendimentos da construtora.

O material recolhido será encaminhado para a Defesa Civil e Prefeitura de Nova Lima, sendo as entidades responsáveis pela distribuição.