Paulo Navarro | quarta, 13 de janeiro de 2021

Um brinde, com vinho branco, a Ronaldo Magalhães de Souza, especialista em periodontia, implantodontia e agora em harmonização orofacial, sempre atualizando e aprendendo. Foto: Divulgação

Filho de Baco

Uma primeira impressão, ou “capítulo”, sobre os primórdios da melhor bebida do mundo, o vinho, com Frederico Turner, um dos proprietários do Bacco’s Armazém, no Vila da Serra. “O vinho, talvez a mais antiga bebida da humanidade, está em crescimento exponencial no mercado brasileiro. Extensa variedade de paladar; néctar exótico e afrodisíaco; festivo; gastronômico”.

Filhos de Dionísio

“E ainda validado e indicado pelos principais médicos do planeta, que já publicaram os diversos benefícios que este líquido dos deuses traz para a saúde. Por falar em deuses, o vinho tomou larga expressão na era de Baco, esse que até hoje mantém a chancela, ‘Deus do Vinho’. Nota do editor: Baco para os romanos, Dionísio, deus da natureza, da fecundidade, da alegria, da libido e do teatro, para os gregos.

Órfãos de Dionísio

“As festas de Baco, sempre regadas a vinho, eram marcadas pelo excesso e pela fartura em todos os sentidos. Essa orgia alimentar, alcoólica e sexual, ficou mundialmente conhecida como a festa de Baco ou Bacanal. Em episódio oposto, sacro, um dos maiores da humanidade, na Santa Ceia, Jesus Cristo serve a seus apóstolos além do pão, o vinho”.

Órfãos de Baco

“Alguns especialistas, dizem que o vinho servido nessa ocasião, foi um vinho de características similares ao Amarone, produzido na Itália. Nosso paladar é mutante e talvez esse seja o ponto. O vinho é a bebida que tem a maior variação de aroma e paladar do planeta. Essa experiência no mundo do vinho fascina pela sua extensa gama de características”.

Correligionários de Baco

“E é diante dessas várias colocações que o brasileiro, cada dia mais, embarca no maravilhoso mundo sem volta do vinho”. O editor acha bom lembrar a divisa maior do vinho, em latim, que reza, “in vino veritas” ou, “a verdade está no vinho”. Isso porque, para o bem e para o mal, dependendo de quem bebe e em quais quantidades, o vinho tem esta qualidade e “armadilha”. Sob seus eflúvios, os inebriados costumam falar boas verdades. Por isso, moderação!

O ator Odilon Esteves, nos testes de iluminação para sua performance em “Na sala com Clarice (2)”, que vai muito bem com vinho tinto. Foto: Fernando Badharó

Curtas & Finas

*Para continuarmos no Reino de Baco, o livro “Entre Vinhos e Paixões” não é só uma ficção.

A obra, da carioca Renata Otuos, tem dicas, receitas e curiosidades sobre a bebida mais romântica do mundo no início de cada capítulo.

O livro, que renderia um bom filme, descortina as obviedades de um casamento falso construído em nome de outro amor.

“Beatriz e Diego não sabem o limite quando o assunto é conquistar seus objetivos”.

“Os protagonistas de ‘Entre Vinhos e Paixões’ se conhecem na Argentina, mas partem rumo à Espanha, após firmarem um acordo que promete mudar o futuro dos dois”.

*O Centro Cultural Banco do Brasil continua homenageando o centenário da escritora Clarice Lispector.

A peça, “Na Sala com Clarice”, segue em cartaz dentro programação do #CCBBemCasa.

A autoria é do ator mineiro Odilon Esteves. Interpretações on-line e ao vivo, direto da sala de Odilon Esteves.

Em cada sessão, um cardápio de textos da Clarice. Até dia 31, sempre aos sábados às 20h e domingos às 19h, pela plataforma Zoom.

*Exposições no Memorial Vale. Até dia 15, “Circo Imagético – Trapézio – Chica da Silva”.

Registros fotográficos de uma cena circense de trapézio inspirada em Chica da Silva, com a trapezista e idealizadora da exposição, Liz Monteiro e a fotógrafa Ananda Rangel.

*Até dia 22, “Bruma”, de Angelo Mazzuchelli, série de fotografias tratadas digitalmente.

A repetição da palavra bruma gera um padrão que forma o véu. A referência visual são antigos cartões postais fotográficos.

*Do site Yahoo Vida e Estilo. O casal Gisele Bündchen, 40, e Tom Brady, 43, acaba de vender um apartamento que tinha desde 2018, na região de Nova York, por R$195 milhões.

“A humildade” mora em um prédio de luxo, com “aquela” vista para o rio Hudson.

Cinco quartos, seis banheiros e um terraço de 1.900 metros quadrados. Piscina, espaço Pilates e ciclismo.

Biblioteca, cafeteria, salão de festas e para brincadeiras, estúdios para ioga, sauna e quadra de squash.

Gisele e Tom compraram o imóvel em 2018 por R$132 milhões. Lucro, como se precisassem, de quase R$70 milhões.

Atualmente, Gisele e Brady moram na Flórida. A nova mansão do casal, em Tampa, pertenceu a Derek Jeter, famoso ex-jogador de beisebol americano.

Eles pagam, mensalmente, US$75 mil (R$396 mil) de aluguel, mas têm a opção de comprá-la por US$34 milhões.