Paulo Navarro | quarta, 10 de novembro de 2021

Na abertura da Minas Contemporânea, em 1988, Carine Alvim, o artista e amigo, Carlos Scliar e Celma Alvim. Foto: Álbum de Família

Celma vive

A galeria Minas Contemporânea, de Celma Alvim, Savassi, reabre dia 18, de 16h às 20h, sob a direção das filhas Tanit e Érika Alvim. Como reabertura de gala, o lançamento do livro de Rodrigo Vivas, “Celma Alvim - A presença feminina na crítica de arte e ativismo cultural”. No acervo do livro, textos de Márcio Sampaio, Rodrigo Vivas, Sandra Makowiecky; o empenho e incentivo do amigo e grande colecionador, Guilherme Teixeira.

De cabo

*O projeto do chef Flávio Trombino, “Minas de Cabo a Rabo”, promove um grande encontro para fomentar o turismo e a gastronomia no estado. O “1º Seminário de Gastronomia e Turismo - Minas de Cabo a Rabo” reunirá vários mestres dos setores de alimentação fora do lar.

A rabo

E também da hotelaria, entretenimento e interessados no tema. Hoje e amanhã, no restaurante Xapuri. Ah! Entrada gratuita. Entre os participantes, os chefs Eduardo Maya, Ivo Faria e Saulo Jenning; o presidente da Abrasel-MG, Matheus Daniel e o presidente da Belotur, Gilberto Castro.

Novembro de vida

O Grupo Oncoclínicas promove, todo este mê, a campanha “O mundo muda. Os homens mudam. O preconceito precisa acabar”. Campanha voltada ao debate sobre os principais tabus que fazem com que muitos pacientes evitem a realização dos exames clínicos de controle de rotina da saúde urológica e só busquem apoio médico especializado diante do avanço dos sinais de que algo não vai bem.

Clínica de vida

A iniciativa trará informações em formato de pílulas nas redes sociais e o hotsite www.grupooncoclinicas.com/movimentopelavida, com informações respaldadas por especialistas como forma de incentivar a mobilização em torno desta quebra de paradigmas. “Há grupos que precisam ficar ainda mais atentos, por terem propensão maior ao risco de desenvolver tumores de próstata”, ressalta o oncologista Paulo Lages, do Grupo Oncoclínicas.

Simpósio de vida

Por falar nele, o mesmo Grupo Oncoclínicas realizou, recentemente, com o Dana-Farber Cancer Institute, a 9ª edição do “Simpósio Internacional Oncoclínicas”. O evento gratuito e online reuniu mais de 250 palestrantes nacionais e internacionais, em 14 salas temáticas divididas por especialidades.

Salvando vidas, Dr. Bruno Ferrari, fundador e diretor-presidente do Grupo Oncoclínicas. Foto: Divulgação

Simpósio de esperança

Estiveram presentes os oncologistas mineiros, Dr. Bruno Ferrari, Dr. Alexandre Jácome, Dr. Alexandre Chiari, Dra. Ana Izabela Kazzi, Dra. Sarah Ananda Costa, Dra. Carolina Vieira, Dr. Daniel Ribeiro, Dr. Evandro Fagundes, Dra. Flávia Amaral Duarte, entre outros.

Curtas & Finas

*Ainda sobre o “Simpósio Internacional Oncoclínicas”. Foram debatidos os últimos avanços da medicina no desenvolvimento de pesquisa clínica.

Processos diagnósticos, tratamentos e impactos da Covid-19 no enfrentamento ao câncer, bem como os caminhos para a democratização do acesso à saúde.

Entre os temas, o estudo internacional “OlympiA” traça alternativas para diminuir a recorrência de câncer em pacientes com mutações hereditárias via medicações orais.

Outro importante tópico abordado foram os cuidados paliativos.

Doenças com altas taxas de letalidade agora são quase crônicas, o que tem feito com que o tema avance em várias frentes.

*Maitê Proença chega com a peça “O Pior de Mim”, indicada ao Prêmio Arcanjo de Cultura.

O espetáculo estará em cartaz no Cine Theatro Brasil Vallourec em duas sessões.

Dia 20, às 21h e dia 21, às 19h. O evento faz parte da Mostra Cine Brasil de Teatro e conta com interpretação de libras.

*Também no Cine Theatro Brasil Vallourec, Zizi Possi, homenageando dois grandes compositores da MPB: Chico Buarque e Edu Lobo.

Dia 26, às 21h, em formato híbrido: o público pode assistir no centro cultural ou em casa, virtualmente, via Eventim.

*Por causa do êxito, a Fundação Clóvis Salgado prorroga, até dia 28, a exposição “Palácio das Artes: 50 anos em 5 atos”, que já foi vista por mais de seis mil pessoas.

Inaugurada dia 14 de agosto, em celebração às cinco décadas do Palácio das Artes, a exposição conta parte da história do complexo cultural.

Isso, usando uma perspectiva contemporânea, abrindo espaço para a arte-tecnologia e todos os seus artifícios.