Outro carnaval

Ainda no Conexão empresarial, o prefeito de São Paulo, João Dória e José Saad Duailib, diretor geral da Band Minas
Foto: Edy Fernandes

Outro carnaval
Como era esperado, cantado em versos e marchinhas, o carnaval foi de paz em Belo Horizonte. Ainda bem! O lado negativo ficou para outra guerra, o triste aumento de acidentes e mortes nas estradas. Os vilões foram os de sempre: imprudência, bebida alcoólica em excesso, asfalto selvagem e falta de sinalização. Agora, com o ano começando em março, sob o signo da Portela, o negócio é trabalhar!

Carnaval triste
Infelizmente, na sexta-feira, nosso carnaval começou com gosto de cinzas, ao sabermos da morte do amigo de tantos anos, artista plástico, Paulo Giordano, que estava em Saquarema, litoral do Rio. Giordano era o próprio lado bom do carnaval: festivo, alegre, bem humorado e finito.

Carnaval assado
Por falar em Rio de Janeiro e do ano inteiro, mesmo na crise, muitos mineiros fugiram da animação esturricante de BH e pegaram a estrada rumo às areias e aos blocos no calor escaldante da cidade de todos os brasileiros. Outros mineiros, mais felizes, escaparam das duas cidades.

Carnaval ao ponto
Estamos falando dos convidados, cariocas e mineiros que passaram o carnaval na cinematográfica Fazenda Guaritá, de Omar "Catito" Peres, em Vassouras, no interior do Rio. A sorte foi tanta que a fazenda estava sem Internet e sem sinal de celular. Aí e só assim a vida real funcionou como deve, muita conversa, casos e risadas em torno de cervejas, cachaça local, vinhos, etc. Longas manhãs e tardes de tênis e piscina. Almoços, jantares memoráveis e noites de muito cinema na tela grande do casarão.

Em festa no Provincia de Salerno, Lilian Furman, Remo Peluso e a aniversariante Lena Brandão
Foto: Cleber Piuzana

Curtas & Finas

* Para a Quaresma o Papa Francisco propõe 15 simples atos de caridade que ele mencionou como manifestações concretas de amor: Sorrir, um cristão é sempre alegre! Agradecer. Lembrar ao outro o quanto você o ama. Cumprimentar com alegria as pessoas que você vê todos os dias.

Ouvir a história do outro, sem julgamento, com amor. Parar para ajudar. Estar atento a quem precisa de você. Animar alguém. Reconhecer os sucessos e qualidades do outro. Separar o que você não usa e dar a quem precisa. Ajudar alguém para que ele possa descansar.

Corrigir com amor; não calar por medo. Ter delicadezas com os que estão perto de você. Limpar o que sujou, em casa. Ajudar os outros a superar os obstáculos. Telefonar para seus pais.

* Os melhores jejuns: Jejum de palavras negativas, de descontentamento, de raiva, de pessimismo, de preocupações,de queixas, de tensões, de amargura.