Paulo Navarro | sábado, 7 de julho de 2018

À frente da direção do BS2, novo posicionamento do Banco Bonsucesso para atuar como um hub de produtos e serviços financeiros, a bela executiva Juliana Pentagna Guimarães traz junto ao seu DNA mais do que o legado empreendedor da família: o de investir em filantropia. Na esteira do pai coruja Paulo Henrique, abraçou a causa da BrazilFoundation e, na primeira edição gala do evento em Belo Horizonte, apoia generosamente a causa, que beneficia projetos sociais em Minas.

Juliana, fale sobre a mudança na gestão do banco e o lançamento da plataforma digital do BS2.

A nova marca vem acompanhada de um processo de modernização da instituição, que passou a atuar também no mundo digital. BS2 é uma sigla fácil e moderna, inspirada na linguagem digital e que representa a proximidade entre o banco e seus clientes, cada vez mais conectados. Nossa plataforma tem uma oferta de valor para pessoas físicas e jurídicas, com uma ampla gama de produtos e serviços reunidos em um só lugar, de maneira simples e intuitiva.

Pelo segundo ano consecutivo vocês apoiam a BrazilFoundation. O que levou o BS2 a patrocinar o Gala MG da BrazilFoundation 2017 e 2018?

Buscamos apoiar projetos que favorecem o desenvolvimento econômico e social das comunidades em que estamos inseridos. O Gala MG está alinhado a essa diretriz e, por isso, investimos na iniciativa pelo segundo ano consecutivo. O Fundo Minas, em especial, contribui para a restruturação dos danos que a cidade de Mariana sofreu em 2015 e, atualmente, também abraça projetos sociais em todo Estado. Queremos ser parte atuante neste processo, uma vez que a busca pelo equilíbrio entre o desenvolvimento social e o econômico faz parte dos nossos valores institucionais. Toda essa causa, quando embalada com glamour e talento pelos organizadores, fica melhor ainda. O evento conta com as luxuosas participações da nossa embaixadora Flávia Alessandra como apresentadora do evento e a animação de Preta Gil.

Como você vê o papel dos empresários em relação a filantropia no Brasil?

O Brasil é carente em muitos aspectos e vejo com bons olhos a contribuição das empresas para o desenvolvimento sócioeconômico do país. Se cada um fizer uma pequena parte, podemos juntos impulsionar grandes mudanças. Temos em nosso escopo um grande projeto de educação financeira, que visa contribuir para melhorar a relação do brasileiro com seu dinheiro.

O senhor Benjamin Ferreira Guimarães, juntamente com seu filho Antônio Mourão Guimarães, criaram o Hospital da Baleia, em 1944. A família Guimarães foi pioneira em filantropia em Minas?

Benjamin foi meu tataravô. Seu exemplo de empreendedorismo e filantropia certamente influenciou meu caminho.