Filho de peixe, peixinho é

Médico psiquiatra, nutrólogo e professor convidado da Fundação Dom Cabral, Frederico Porto nasceu em Juiz de Fora, onde morou até os 4 anos. Depois, foram várias mudanças, entre elas, uma temporada nos Estados Unidos. Filho do famoso médico e palestrante Lair Ribeiro e com a medicina em seu DNA, ele fala um pouco sobre qualidade de vida e saúde para nossa coluna de hoje.

O que determina a nossa saúde?

Inicialmente, é importante lembrar que saúde não é ausência de doença e, conforme o conceito da própria Organização Mundial da Saúde, é estado de completo bem-estar físico, mental e social. Segundo um estudo da Universidade de Stanford, se considerarmos o que determina chegarmos saudáveis na terceira idade, ou seja, após os 60 anos, 20% é nossa genética, 20% o local onde vivemos,  10% a tecnologia médica, isso é, os remédios que o médico lhe prescreve, junto com todo o aparato médico, e 50% é determinado pelos seus hábitos de vida.

Então o segredo está em adquirir novos hábitos?

Sim, esse é o grande gargalo da saúde, precisamos criar hábitos que façam a diferença no curto e longo prazo. Hábitos que contemplem a nossa integralidade física, emocional, mental e espiritual.

Poderia falar um pouco mais sobre isso? 

No corpo precisamos cuidar da alimentação, do sono e da atividade física, na dimensão emocional, cuidar das relações. Sartre dizia que o inferno são os outros, mas temos de complementar, o céu também são os outros. Se lembrar dos momentos mais felizes de nossas vidas, na grande maioria estamos com outras pessoas. Se olharmos as chamadas Blue Zones, que são locais no mundo tem mais centenários saudáveis, em todas, as relações sociais são muito importantes.

Você falou das dimensões emocional e mental, qual o impacto dessas áreas na saúde atual?

É um problema de saúde pública, os índices de depressão nos EUA são 10 vezes maiores que nos anos 60. A idade média para a manifestação da depressão passou de 29,5 anos para 14,5 anos em quase meio século e ela já é considerada a segunda causa de perda de dias produtivos na faixa etária entre 15 e 44 anos. Isso somente de depressão e ainda podemos considerar que 1 em 4 pessoas terá um quadro de ansiedade durante a vida, entre outro transtornos mentais.

Concluindo temos de ter uma visão integral do ser humano e gerar hábitos saudáveis e a forma mais fácil de criar novos hábitos é começar com comportamentos bem pequenos, quer fazer atividade física, comece com 10 minutos por dia. É pouco? Sim mas ao começar criamos um reforço positivo que nos impulsiona a continuar, ao invés de ficar sonhando com a perfeição.