BH/Confins

Durante a exibição da obra de audiovisual Paixão e Fé na AM Galeria, a anfitriã Ângela Martins emoldurada pelos artistas responsáveis pela obra Tavinho Moura e José Luiz Pederneiras
Foto: Edy Fernandes

BH/Confins
A propósito de constantes reclamações da distância do centro de BH até o Aeroporto de Confins, o leitor José Aparecido Ribeiro pontua a coluna que o grande problema da região diz respeito ao tempo de deslocamento e não ao aeródromo em si. Segundo ele, uma das maiores reclamações de quem trafega nesse percurso é o trânsito lento, sobretudo entre o Complexo da Lagoinha e a Linha Verde e, valendo para o sentido contrário, com retenções a partir da Cidade Administrativa.

Dá-lhe nó
Ribeiro, que também é consultor desse setor, salienta que, embora os dois corredores em direção ao Aeroporto Internacional tenham largura suficiente para receber grande volume de veículos, em 4 faixas,  o trânsito não  desenvolve em virtude do número elevado de cruzamentos e interrupções de tráfego. Segundo ele, tais problemas poderiam ser evitados, com a expertise de um gestor.

Desatando nó
Para ele, soluções existem: “obras que eliminem gargalos são necessárias e urgentes, mas não bastam. É recomendável aumentar a velocidade máxima de 60 para 70 km/h nos trechos onde não há circulação de pedestres, sem prejuízos para a segurança de motoristas. O problema é que isso faria a arrecadação da BHTRANS proveniente de “excesso” de velocidade despencar em 83%.“

Praga de pardais
Não é por acaso que existem nos dois corredores nada menos que 40 radares espalhados em pontos estratégicos e a velocidade é de 60km/h.  É mais importante arrecadar do que permitir fluidez em direção à Confins.

Na Itália
Os diretores do Jornal MG Turismo, Antônio Claret Guerra  e Suely Calais Guerra, estiveram na Europa com o intuito de iniciar a temporada de contatos jornalísticos e empresariais. A primeira reunião aconteceu em Roma, seguida de almoço no Restaurante Rossini, com o diretor-geral do tradicional Hotel Quirinale, Domenico Miloni.

Curtas & Finas
*No próximo domingo, a partir de 21h, Nova Lima recebe o grande encontro musical entre Alceu Valença e a Orquestra Ouro Preto. Juntos, eles apresentarão o espetáculo Valencianas, com os maiores sucessos do cantor adaptados para música de concerto.
Com regência do maestro Rodrigo Toffolo, o espetáculo é gratuito e conta com patrocínio da AngloGold Ashanti.

*Acontece nos dias 9 e 10 de março o “Bazar Solidário da MMartan” em benefício da Santa Casa de Belo Horizonte.
Serão comercializados produtos novos de cama, mesa e banho, com descontos de até 50%.
Com entrada é gratuita, o evento acontece no hall da antiga Maternidade Hilda Brandão, Santa Efigênia.

*A primeira Festa VIP de 2018 já tem data para acontecer. No dia 9 de março, na Boate do PIC, a partir das 22h.
A noite será animada pela Orquestra Mineira de Brega e, na sequência, pelo DJ Eduardo AUM.

*Comentário de gente da segunda idade e meia sobre as paradas musicais de hoje em dia: “Vou morrer ouvindo gente que já morreu cantando.”