Balanço sólido

Na inauguração do MayFair Studio, no Belvedere, o hair stylist William Ferreira emoldurado pelas proprietárias do espaço, Angélica Ribeiro e Cibelle Fernandes
Foto: Marcos Trijollet





Pedro Martins da Costa ao lado deOlivier Hick, diretor da rede Accor e Agilberto Martins da Costa, sócio proprietário da Rede Gourmet
Foto: Arquivo Pessoal/Divulgação

Balanço sólido
Mais de 200 marcas da indústria da moda participaram da 22ª edição do Minas Trend, evento realizado pela FIEMG, no Expominas. A edição primavera-verão/2019, encerrada dia 20, contou com expositores que são referência nacional em vestuário, bolsas, sapatos, joias, bijuterias e acessórios. Para os presidentes dos sindicatos empresariais, os negócios atenderam de forma satisfatória as expectativas.

Balanço promissor
"Registramos incremento de 10% na comercialização dos espaços; adesão de 13 novas marcas - somando 112 em vestuário - o que evidencia confiança do produtor em uma recuperação gradual, porém constante, dos negócios do setor”, analisou Luciano Araújo, presidente do Sindivest/MG.

Balanço bom
A Moda mineira em números: 18% dos empregos da indústria de transformação do estado. 130.039 postos de trabalho. 8.944 empresas. 23,5% total das empresas em atuação na indústria de transformação do Estado. Representa 5% do PIB mineiro em  valor aproximado de R$ 7,29 bilhões.

Elas podem
Pesquisa do VIX, plataforma de conteúdo social, investigando o consumo das mulheres, aponta que as plataformas digitais são as preferidas para se informar e expressar ideias. Na informação, 89% das mulheres utilizam, primeiramente, as redes sociais. Depois, a Internet, TV e rádio (22%), à frente de jornais e revistas com apenas 9%. Para expressar as ideias, 74% delas também escolhem as redes sociais, sendo o Whatsapp, o canal predileto (77%), seguido do Facebook (75%) e Instagram (43%).

Curtas & Finas
* Ainda sobre o consumo feminino. Para as compras, as lojas físicas ganham das virtuais: 84% das entrevistadas ainda utilizam as vitrines de vidro.
Os principais motivos são: poder provar o produto (67%), a variedade (44%), as promoções (42%), a praticidade (38%) e a segurança (28%).
Apenas 16% delas elegem as lojas online como melhor opção pelas seguintes razões: preço (73%), praticidade (67%), promoções (66%) e variedade de produtos (63%).
A frequência das compras. 37% compram uma vez ao mês, 29% a cada três meses, 17% a cada seis meses e 5% uma vez por semana.
O ranking dos produtos mais vendidos: roupas (52%), eletroeletrônicos (51%), sapatos e acessórios (50%), produtos de beleza (49%); livros, CDs e DVDs (47%).
A pesquisa foi feita com 1.699 usuárias, sendo 59% na faixa de 18 e 24 anos, 25% de 25 a 34, 7% de 13 a 17, 5% de 35 a 44 e 1,5% acima de 45 anos.
Que elas são alucinadas por compras, já sabíamos, agora, conhecemos em detalhes!