Magnésio e enxaqueca

Um estudo mostra que 50% dos pacientes que sofrem de enxaqueca tem deficiência de magnésio durante uma crise. O que ocorre também é um desequilíbrio entre a proporção de cálcio e magnésio, o que gera a contração dos vasos sanguíneos do cérebro, resultando na diminuição do fluxo sanguíneo e consequentemente gerando um incômodo.

O suporte do magnésio pode ser essencial no controle da atividade elétrica do cérebro, visto que ele tem propriedade para aumentar o fluxo sanguíneo cerebral e a sua velocidade. Devido a essa vantagem, o magnésio é cada vez mais indicado para a prevenção da enxaqueca. Estudos mostram que o tratamento com magnésio faz aumentar tanto o fluxo sanguíneo cerebral como a sua velocidade, comprovado por pesquisadores usando o ultrassom Doppler de alta tecnologia para olhar através do crânio e medir a velocidade do fluxo sanguíneo em uma grande artéria do cérebro. 

O magnésio também tem efeitos benéficos sobre o equilíbrio para sinalização de neurotransmissores inibitórios no cérebro. Ele é um bloqueador natural desse receptor sobre as células cerebrais, por isso, quando ele está disponível, esses receptores não acionam o impulso elétrico excitatório. Isso permite que o cérebro trabalhe de um modo mais equilibrado e calmo. Os benefícios continuam, além de bloquear receptores excitatórios, o magnésio também induz a atividade GABA do cérebro, ajudando a criar um ambiente calmo e reduzir ainda mais a atividade elétrica excessiva do cérebro, associada com enxaqueca e estresse.

Um outro estudo avaliou mulheres com enxaqueca durante os seus ciclos menstruais, é um sintoma muito comum ter crises nesse período. Existia 2 grupos de análise, no primeiro as mulheres usaram 360mg de magnésio por dia e o outro grupo usou um placebo. Os pesquisadores concluíram que o número de dias com dor de cabeça foi reduzido apenas no grupo de magnésio. O magnésio também melhorou outras queixas pré-menstruais.

São várias as pesquisas recentes sobre essa temática, inclusive os que tratam a eliminação completa da dor da enxaqueca, em que os testes foram realizados com citrato de magnésio intravenoso. Este estudo revelou uma taxa de 80% de resolução de dor dentro de 15 minutos após a injeção, juntamente com a completa eliminação de hipersensibilidade à luz ou som, sintomas comuns provenientes da enxaqueca. Um outro estudo mostrou que a irritação dos músculos faciais e do pescoço, comuns na crise, também foi reduzida com a suplementação de magnésio. A frequência das crises de enxaqueca foi reduzida em quase 42% no grupo tratado com dicitrato trimagnésio, em comparação com cerca de 15% tratado com placebo.

Esse campo de pesquisa é amplo e atual, mas os ensaios clínicos já demonstraram a utilidade do magnésio em variadas composições, por via oral, transdérmica e até mesmo venosa – que atuam no campo da prevenção, redução e tratamento de crises. Vale salientar que é de extrema importância e necessidade você ser avaliado por um profissional capacitado, afinal, a enxaqueca tem inúmeros gatilhos de causa, que devem ser investigados – juntamente com a análise do melhor protocolo para os sintomas. O magnésio também pode ser usado em diferentes circunstâncias, falaremos mais sobre ele futuramente, afinal é um dos minerais mais abundantes na crosta terrestre e é um poderoso aliado para a saúde e longevidade.