Paulo Navarro | terça-feira, 9 de outubro de 2018

Os felizes noivos Érica Drumond e Jay Davidson, no paradisíaco cenário de seu casamento: a praia de Toque Toque Pequeno, em São Sebastião, São Paulo

Foto: Edy Fernandes

Casamento bonito

Dia 6, nossa amiga, linda e talentosa, Érica Drumond, casou-se com seu amor americano, Mister Jay Davidson. O cenário, pra lá de original, a praia de Toque Toque Pequeno, em São Sebastião, São Paulo. Casamento em três dias. Pernoite em São Paulo; dia seguinte, “welcome” na Casa 28, na mesma Toque Toque Pequeno, com open bar, churrasco e DJ. Depois, voz e violão, com Maurinho Nastácia, na praia.

Casamento extenso 

No sábado, depois da cerimônia, na mesma Casa 28, recepção. Vale ressaltar o valor que o casal deu à cerimônia que agregou famílias e amigos do Brasil e dos EUA. Bem amadurecidos, foi o segundo casamento de cada um. A acomodação dos convidados envolveu uma complexa logística.

Casamento rico 

Desde a recepção no aeroporto, translado dos comensais, o pernoite em São Paulo e, depois, na região de Maresias, litoral chique e norte do estado. Bem perto, a vila de Toque Toque foi palco da cerimônia religiosa e de programações paralelas durante os três dias de comemoração.

Casamento inolvidável 

Para tal, a Casa 28, à beira-mar, foi adequada e devidamente ornamentada para as festividades. Rica produção que envolveu aparato majestoso de uma prestadora de serviços de São Paulo. No mais, champanhe e muita conversa boa, entre empresários, parceiros e cúmplices dos noivos. Como sabemos, Érica é CEO da Vert Hotéis e sócia do grupo Maquiné Empreendimentos – empresa familiar, que administra o Hotel Ouro Minas, o cinco estrelas de Belo Horizonte, além dos Motéis Green Park e Forest Hills.

Casamento único 

O feliz noivo? Advogado corporativo James Davidson, Jay, é filho de diplomata e irmão do chefe de estado-maior da senadora Bennett, do Colorado, que, em 2020, será candidata à presidência dos Estados Unidos. No mais, reforçamos o cenário de beleza e tranquilidade, escolhido minuciosamente pela noiva. Muita festa que nos fez esquecer até das eleições.

Curtas & Finas

* O casamento de Érica e Jay pode ter sido “um descanso na loucura”, como queria Carlos Drummond de Andrade, mas todos ficamos atentos às mais estranhas e renovadoras eleições.

Vale registrar alguns ineditismos e várias “pedras cantadas”, como a incrível surra das pesquisas que, a cada vez, caem no descrédito e galhofa.

A única certeza das pesquisas, mesmo com reservas, foi a passagem dos candidatos à Presidência, Bolsonaro, com folga, e Haddad, malhado como Judas, para o segundo turno.

Foi um domingo pra lá de especial, onde tudo correu com relativa calma. O grande perdedor foi o PT, em deliciosas reviravoltas.

Em Minas, a “favorita” Dilma foi escorraçada da cena política, rimando com a performance fraquíssima do ex-governador Pimentel.

No mais, surpresas várias no Rio de Janeiro e São Paulo, com azarões ultrapassando os prediletos nas pesquisas dos famigerados Ibope e Datafolha.

 Que venha o segundo turno, talvez e agora, sem grandes novidades, mas muita mudança.