Paulo Navarro | sábado, 16 de fevereiro de 2019

Foto: Retrato 3 Estúdio

O mestre das cervejas

Ele já foi mensageiro, office boy e recepcionista bilíngue de hotel, assistente de eventos e projetos ambientais, mas foi no mundo da cerveja que Heitor Silva encontrou seu lugar. Atualmente, o sommelier de cervejas atua também como embaixador da Krug Bier e garante que a combinação entre uma boa cerveja, petiscos e comidas é uma aventura de sensações gustativas.

Quem é Heitor Silva?

Sou bacharel em Turismo e atuo no setor há mais de 20 anos. Há seis, senti pela primeira vez uma real necessidade de rever meus objetivos pessoais e profissionais. Encontrei, através de um processo de life coaching, um novo rumo para o meu plano de carreira e identifiquei, acreditando no meu feeling, nos meus gostos pessoais e nas pesquisas que realizei por alguns meses, uma nova, intensa e gratificante vocação: a cerveja.

Como começou sua paixão pela cerveja e como você decidiu transformá-la em profissão?

A paixão pela cerveja começou exatamente há 37 anos, ou seja, desde quando eu nasci (risos). Brincadeiras à parte, minha família por parte de pai sempre foi e é, até hoje, muito festeira e cervejeira na essência, mas nunca me imaginei trabalhando com cerveja, portanto, eu nunca decidi transformá-la em profissão. Aconteceu de forma natural e se revelou um universo fascinante, no qual eu decidi me envolver de corpo e alma.

O que faz um sommerlier de cervejas?

O papel do sommelier de cervejas, em síntese, é descomplicar a cerveja para o público consumidor, respeitando e adequando alguns critérios como seus estilos, perfis de consumo, locais, ambientes, dentre outros aspectos que envolvem direta e indiretamente o seu serviço.

O prefeito Alexandre Kalil sancionou uma lei que abre mais possibilidades para o mercado cervejeiro em Belo Horizonte. Você enxerga essa iniciativa com bons olhos?

Sim. Acompanhei muito de perto a parte final desse processo e vejo que este é o verdadeiro papel das autoridades: fomentar a economia e dar condições para que as MPES, em especial as do segmento de microcervejarias, bares, restaurantes, hotéis e similares possam realizar bem as suas atividades, em conformidade com a legislação.

Qual é o seu estilo de cerveja favorito?

Todo mundo me faz essa pergunta e eu sempre respondo que a cerveja que eu mais gosto é aquela que está no meu copo, naquele momento. Não nasci apreciador de cervejas artesanais e jamais perderei minhas raízes. Mas, em todo caso, gosto da tradicional pilsener alemã ou da premium lager e também de uma boa Hefeweizen, a cerveja clássica de trigo bávara. Mas é claro que também aprecio as cervejas que desafiem o meu olfato e o meu paladar.

E quais são seus projetos para 2019?

Minha principal meta de 2019 é executar o planejamento inerente às minhas atribuições enquanto embaixador da Krug Bier e também participar, pela terceira vez, do Campeonato Brasileiro de Sommeliers de Cervejas, que chega à sua quinta edição. Quero estar entre os dez melhores, me posicionar profissionalmente como um dos principais sommeliers de cervejas do Brasil e também me classificar para a disputa do mundial, que este ano será na Itália.