Paulo Navarro | quinta-feira, 14 de março de 2019

Ana Luísa Teodoro Freitas comemora, ao lado dos pais corujas, Hélio Freitas e Renata Teodoro, seus 15 anos, no próximo dia 23, com grande festa no Gálli Eventos na Pampulha

Foto: Alessa Fotografia

Emprestando beleza para a coluna e para o carnaval de Beagá, Wanda Carmo, Isabella Bartolozzi e Izabela Bitencourt

Foto: Paulo Navarro

Cassino do Chacrinha 

Foi grande besteira moralista (perdão pelo pleonasmo) a proibição dos jogos de azar (cassinos) em 1946, pelo presidente Eurico Gaspar Dutra. Tão grande e inútil quanto outro presidente, Jânio Quadros, proibindo o biquíni, brigas de galo e corridas de cavalo, no início dos anos 1960. Eram coisas “nocivas à moral e aos bons costumes”. A proibição das brigas de galo apoiamos, mas a dos cassinos!

Cassino do Bingo 

Há muito tempo aventa-se a volta dos cassinos. Jogos de azar nunca foram extintos, pelo contrário. Muitos são oficiais, legais. Mera e típica hipocrisia brasileira. Cassinos, no mundo inteiro, geram muito dinheiro, muita coisa boa, emprego, turismo e, claro, crimes inevitáveis.

Cassino do Bolinha

“Equipe de Bolsonaro discute legalização de cassinos no Brasil, mas não dentro de um ‘liberou geral’. A intenção é mapear as áreas onde é possível gerar mais empregos e promover a arrecadação de impostos. Além de detalhes, Bolsonaro não quer gerar polêmica com os evangélicos”.

Cassino de Chernobyl 

Lemos também na imprensa em geral que “a bancada da Bíblia terá que entender que essa é uma das formas de gerar emprego e renda. Uma coisa é praticamente certa: a baía de Angra está dentro do projeto de modernização de um dos complexos mais bonitos e pouco explorados do Brasil”. Resorts e famosas estações de água – como antes de 1946 – também seriam lindos cenários. O problema, em nossa humilde opinião, é apenas um, mas enorme: o Brasil, onde nada funciona; quando sim, funciona errado.

Curtas & Finas

* Triste notícia: faleceu, dia 8, João da Mata Nogueira, fundador da Lider Interiores, uma das maiores indústrias moveleiras do Brasil.

Missa de Sétimo Dia, amanhã, às 19h, em Carmo do Cajuru.

* Dentro da abertura do 5º Circuito 10 Contemporâneo, a exposição “O Risco”, de Juliana Gontijo, dia 16, das 10h às 17h, na Galeria Murilo Castro.

* Dia 23, das 10h às 14h, lançamento do livro “Anchieta”, de Luís Márcio Vianna, na Pão e Companhia, Anchieta.

* No 3º Congresso Infovarejo, dia 28, no Hotel Ouro Minas, das 8h às 18h, o governador Romeu Zema fará a abertura. A palestra será do economista Ricardo Amorim.

* Acontece hoje a inauguração da Casa Híbrido, um espaço colaborativo localizado no bairro Floresta, que vai promover as artes e a criatividade através de encontros interdisciplinares.

* Os sócios Alexei Vallerini, Fabiano Aguiar, Felipe Aguiar e Fernão Horta convidam para a abertura do bar Mito. Amanhã, a partir das 17h, na Rua Pium-Í, 672.