Os belos lares de Cláudia

Claudia Cipriano

Foto: BarbaraDutra


Os belos lares de Cláudia

Como boa ariana, a linda empresária, executiva e múltipla Cláudia Cipriano, adora viajar. Viaja, desde muito jovem, para conhecer, aprender e apreender novas culturas e experiências férteis. Estudou, divertiu-se, trabalhou e, prodigamente, voltou às raízes mineiras, assumindo, com talento e charme, o timão da Bel Lar Acabamentos, fundada por seu pai, Oswaldo Cypriano, em 1967. "Voilà!".


- Cláudia, de onde vem tanta curiosidade pela vida e pelo mundo? Partir para os EUA aos 20 anos, sozinha. Quanto tempo ficou lá e fazendo o que?
Adoro desbravar o mundo e novas culturas. A decisão de trancar a matrícula em Administração de Empresas e estudar nos EUA veio da vontade de aprimorar o inglês. Fiquei oito meses, em São Francisco, Califórnia. Participei também de um programa de "homestay" no Havaí. Estar sozinha lá me deu autoconfiança, pro-atividade e facilidade no relacionamento interpessoal.


- Aí, de volta ao Brasil, melhor aluna da Fumec...
Procuro dar o meu melhor e nos estudos não foi diferente. Me identifiquei muito com o curso de administração de empresas. Trabalhar enquanto estudava foi um grande incentivo para me esforçar cada dia mais. A medalha de 1º lugar foi um reconhecimento maravilhoso.


- Aos 29 anos, deixou a Bel Lar Acabamentos, de seu pai, Osvaldo Cypriano...
Para conhecer diferentes modelos de gestão fui para São Paulo. Participei  de diversos cursos, me especializando em controladoria na FGV.


- E logo estava em uma multinacional argentina!
Ter trabalhado em uma empresa familiar, me deu a oportunidade de realizar um "job rotation", facilitando meu ingresso no concorrido mercado paulistano. A fluência no inglês e minha pró atividade foram determinantes para isso.


- Tão incansável que ainda teve o capítulo 10 anos nas finanças da Accenture.
O ingresso numa das cinco maiores empresas do mundo, a Accenture do Brasil, me trouxe ainda mais bagagem. Fui responsável pela tesouraria no Brasil, com "report" a Chicago. Participei da fusão e aquisição de cinco novas empresas adquiridas pelo grupo onde fui responsável por fazer a migração dos processos financeiros para o modelo Accenture.


- Este lado incansável tem a ver com o lado espiritual?Índia?
Sempre busquei desenvolver o lado espiritual e isso me levou a experiências incríveis. Recentemente, na Índia, aperfeiçoei a meditação


- Prova que o mundo dá voltas, de volta à Bel Lar...
Há dois anos, com o falecimento do meu pai, retornei à Bel Lar. A paixão pela decoração também influenciou.


- O que EUA, São Paulo e Índia imprimem à "nova" Bel Lar? Projetos audaciosos?
Com certeza! Contratei novos profissionais, para um crescimento sustentável visando os próximos anos. Projetos já começaram a ser implementados em vários setores. O trabalho em equipe será um dos pontos fortes para fazer jus ao legado de meu pai, Osvaldo Cypriano, que dedicou praticamente toda a sua vida, suor e alegrias à essa empresa.