O ópio do povo, de novo

Na 23ª edição do Prêmio Top of Mind, o presidente da Drogaria Araujo, Modesto Araujo emoldurado pelas filhas Cristiana e Silvia

Foto: Edy Fernandes

No mesmo evento que aconteceu na sede da ACMinas, o presidente da entidade, Lindolfo Paoliello, entre Luis Bastos, diretor de vendas auto serviço e food service Forno de Minas e Mônica Cordeiro

Foto: Edy Fernandes

O ópio do povo, de novo

Na esteira dos acontecimentos, recebemos o seguinte texto do empresário e ex presidente do Sindicato da Indústria da Construção Pesada (SICEPOT MG), Emir Cadar: “Minha tristeza é que daqui uns dias começa a Copa do Mundo e vamos assistir aos carros correndo pelas ruas, com bandeirinhas do Brasil presas nos vidros laterais, com pessoas vestindo as camisas da seleção, principalmente mulheres”.

O pio do povo

“Principalmente as mulheres que ficaram os quatro anos ausentes dos estádios, mas, na época de Copa do Mundo, querem dar aulas de futebol para todos. Firmas terão que interromper suas atividades na hora dos jogos e emendar feriadões. Os políticos vão se afastar de Brasília”.

Ópio e ócio

“Os políticos abandonam Brasília para agradar suas bases deixando o Congresso às moscas. Enquanto isso o país, mesmo na maior crise da história, dependendo de todos para se reerguer, vai acompanhar a seleção brasileira, composta quase em sua totalidade por ‘estrangeiros’”.

Ópio e cio

“Jogadores que estão fora do Brasil há tempos, ganhando rios de dinheiro e pouco se importando com o Brasil. O circo está montado, mas e o pão? Como vamos ganhá-lo. Comemorando jogos da seleção é que não vai ser. Abra os olhos Brasil”. Comemorando ou chorando o leite derramado. A reflexão de Emir Cadar, infelizmente, é velha canção em nossos cansados ouvidos, mesmo porque, em menor ou enorme grau, como agora, não é só de quatro em quatro anos que o Brasil está em crise. É sempre. Triste.

Curtas & Finas

* Falamos ontem sobre o jantar da CAPE, mas vale ressaltar que é uma das ações mais significativas  abraçada pelo empresário José Marcílio Nunes.

Ninguém fez e faz tanto por crianças que não conseguem atendimento pelo no SUS e são acolhidas, por iniciativa dele e de um corpo de voluntários.

Vale muito comprar um ingresso, jantar maravilhosamente e ajudar a quem precisa.

* BrazilFoundation, Goldman Sachs e Patricia Lobaccaro  da BrazilFoundation convidam para o coquetel e cerimônia de apresentação Projetos 2018.

43 projetos sociais apoiados. Hoje, no escritório da Goldman Sachs em São Paulo. 10 projetos de Minas participam. O 3º BrazilFoundation Jantar para Minas será em agosto.

* 28 anos do Teatro da Cidade. Teatro, dança, música, debates, exposições.

A primeira peça exibida foi "Boca Molhada de Paixão Calada", de Leilah Assunção e direção de Pedro Paulo Cava.

Outro texto de Leilah celebra o aniversário: "Intimidade Indecente". Até julho.