O avesso da Grécia

As belas irmãs Natália e Tatiane Benevides emprestando sua beleza ao aniversário do deputado federal Fábio Ramalho que aconteceu na residência do anfitrião, no bairro Santa Lúcia
Foto: Edy Fernandes

O avesso da Grécia
Como não cansamos de repetir aqui e acolá, coincidências são como bruxas, não existem, mas acontecem. Há duas semanas, caiu em nossa vida virtual pequeno trecho de um ciclo de palestras filosóficas, assinado por www.acropole.org.br. Nele uma palestrante falava sobre música e Platão. Mais especificamente sobre o que o grande filósofo grego pensou, em "Cidade Ideal", sobre música ruim e governos.

O avesso da filosofia
Platão, analisando um padrão vibratório, aconselhava: "cuidado com as coisas que te puxam para vibrações mais grosseiras, cuidado com a música ruim que o estado dá". Música ruim é culpa dos governos e tem efeitos colaterais. Efeitos terríveis, medonhos, nocivos e irremediáveis.

O avesso da sutileza
 "Coincidentemente", dois leitores da coluna andaram internados em hospitais, nas duas últimas semanas e sentiram Platão nas veias, como agulhas de soro, antibióticos e analgésicos. Acostumados que estão com a TV a cabo, que no Brasil também não é lá estas coisas, sofreram!

O avesso do avesso
Todos reclamam de comida de hospital, além das mazelas, dores e tédio. Tédio este que pode ser ainda mais mortal quando, mesmo quartos com padrão de planos particulares - o que também no Brasil, não é garantia de qualidade - oferecem, como distração para os males da alma e do corpo dos pacientes, apenas os canais abertos de TV no Brasil, Globo e etc.

O avesso da vida
Canais abertos de TV no Brasil são máquinas de tortura para poucas e incautas vítimas. Mas, para a maioria absoluta dos telespectadores que não conhecem outras opções, nem têm repertório intelectual para tal, são uma maravilha, quer dizer, "usina de fabricar débeis mentais". Tudo, em todos os o canais é um acinte à inteligência. De programas de auditório, entretenimento, entrevistas, de culinária, jornalísticos, dramatúrgicos (filmes, novelas) e principalmente "música": um lixo. Dá-lhe Platão!

Curtas & Finas
* Continuando sobre o Festival de Besteiras e Imbecilidades que assolam o país, além da programação inútil, idiota e nociva, cheia de picaretas e chatos com animadores, religiosos e jornalistas, vale a pena aprofundar a desgraça que se abateu sobre a música.
O insuportável Roberto Carlos é alta cultura sem comparado à Globo e sua Som Livre que disseminam 24/24 horas lavagem cerebral em forma de shows, clipes, trilhas sonoras e etc. Isso, no país que nos deu Tom Jobim!
"Culpa"? De todos, dos empresários que visam o lucro fácil de música para ruminantes; telespectadores aculturados e imbecilizados com os pior tipo de sertanejo, axé e funk. Se tem cardápio, tem público!
"Culpa" do governo que cria ovelhas que se divertem como votam.
Do jornalista Edson Aran, mais otimista e bem humorado que nós: "Entendo gente que é fã de funkeiro. Entendo até quem é fã de sertanejo. O que não entendo é fã de político. Tem que ser muito emocionalmente retardado pra ser fã de político".